A ACBR – Associação Casa dos Beirões no Ribatejo assinalou recentemente o seu 17º aniversário continuando a sua ‘missão’ de valorização do património natural, histórico, monumental, cultural e artístico da região das Beiras. Com mais de 600 associados, a ACBR decidiu lançar mãos à construção de um Complexo Social, com várias valências de apoio à família.

Qual é a ‘missão’ da Associação Casa dos Beirões no Ribatejo?

A Casa dos Beirões no Ribatejo nasceu em 3 de Outubro de 2000, com o objectivo juntar todos os que, com origem nas beiras ou com laços afectivos às beiras, e residindo essencialmente no Ribatejo, pudessem confraternizar manter vivos os laços afectivos com as suas terras ou com as terras de origem, dos seus ascendentes.

Dada a divulgação que foi feita, por todos elementos do grupo fundador, principalmente em contactos pessoais, logo se começou a registar a adesão de novos sócios.

De que forma a associação tem feito a defesa e valorização do património natural, histórico, monumental, cultural e artístico da região das Beiras?

Para a concretização dos objectivos que estiveram na origem e criação da Casa dos Beirões no Ribatejo, foram efectuados eventos regulares como seja “a sardinhada”, “o magusto com a tradicional castanha assada na caruma”, “a festa de aniversário” e necessariamente visitas a terras beirãs, sempre com a colaboração das entidades locais com especial destaque para as Câmaras Municipais, que nunca negaram o apoio à Casa dos Beirões e sempre nos receberam de forma acolhedora como são sempre recebidos os “filhos” da terra.

De quantos associados dispõe actualmente a ACBR? É um número que se tem mantido estável?

ACBR tem registado uma adesão regular de novos sócios, sendo que o último, admitido já este mês, tem o número 635 a que corresponde, em termos efectivos, a mais de quinhentas famílias, se considerarmos, em média, duas pessoas por família, são mais de mil as pessoas que constituem esta grande família que é a ACBR – Associação Casa dos Beirões no Ribatejo.

Em que fase se encontra a obra de construção do complexo social da ACBR?

Ultrapassados vários constrangimentos e burocracias, a Direcção, confrontada com a não abertura das candidaturas a fundos comunitários, do tão falado “Portugal 2020”, que todas as entidades dizem que vão abrir, mas nunca mais abrem, decidiu iniciar as obras com os recursos que tem disponíveis e com o apoio dos sócios.

Os trabalhos de terraplanagem do terreno foram concluídos, tendo-se já iniciado os trabalhos de infra-estruturas e edificação dos pavilhões destinados ao Centro de Dia e Administração. Estes trabalhos vão ser executados pelas firmas Zacom, Comércio e Construção Civil Lda e HCP – Estruturas Metálicas.

Dada a dificuldade na obtenção de apoios financeiros, verificados até ao momento, a Direcção decidiu proceder à revisão do projecto e ao seu faseamento, processo este que se encontra em fase de conclusão para ser submetido a aprovação das entidades competentes.

Assim, o pavilhão destinado ao Lar só será concretizado em fase posterior e o espaço destinado à Creche prevê-se seja convertido num espaço de Fisioterapia e recuperação.

Em que consiste este complexo social?

Com o passar do tempo, dada a idade de muitos associados e as necessidades de apoio social que muitos deles começavam a sentir e a falta de respostas dos organismos existentes, uns por se encontrarem lotados outros por manifesta falta de qualidade, começou-se a pensar na possibilidade de criação do nosso próprio Complexo Social.

Para dar sustento a este ambicioso e arrojado projecto, iniciou-se todo um processo de alteração de estatutos e alteração de denominação social para nos ser concedido o estatuto de IPSS.

Todo este processo foi concluído em 2013, com a atribuição do estatuto de Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS), passando a Casa dos Beirões no Ribatejo, a ser designada por ACBR – Associação Casa dos Beirões no Ribatejo. Em paralelo com todo este processo, foi sendo desenvolvido o projecto que designamos por Complexo Social da ACBR – Associação Casa dos Beirões no Ribatejo.

Este Complexo foi concebido e aprovado para ter as valências de Centro de Dia, Serviço de Apoio Domiciliário, Serviço de Apoio à Criança (Creche, Centro Actividade Tempos Livres) e à Família.

Para edificação deste empreendimento a Câmara Municipal de Santarém cedeu-nos um terreno, localizado no Graínho, com uma área de 5.812 m2, por um período de 50 anos, e seguintes com renovação de cinco em cinco anos.

Quando espera inaugurar a obra?

Dados todos os constrangimentos referidos, com grande pena nossa, não é possível estimar a data de conclusão das obras do Complexo Social e a sua entrada em funcionamento, mas tudo faremos para, em cada momento, encontrarmos apoios que nos levem a este objectivo.

Como fundador da ACBR, não posso deixar de louvar e agradecer a todos quantos fizeram e fazem parte dos órgãos sociais, pelo excelente trabalho que têm desenvolvido em prol da união desta grande Família.

Em Novembro haverá eleições para a direcção da associação. Que balanço faz do mandato que agora termina?

O balanço deste mandato que termina em 2017, será efectuado pelos sócios, na Assembleia Geral a realizar no dia 25 de Novembro pelas 14h30, contudo considero que o trabalho realizado foi globalmente positivo.

Espero que os novos corpos sociais que serão eleitos na Assembleia Geral do dia 25, possam dar continuidade ao trabalho desenvolvido.

Viagem?

Gosto viajar de preferência no nosso País.

Música?

Preferência dos anos de sessenta.

Hobbies preferidos?

Teatro e desporto.

Se pudesse alterar um facto da história qual escolheria?

É difícil resposta, porque a atitude humana cada vez me desilude mais.

Filme preferido?

De Amor.

O que mais aprecia nas pessoas?

A simplicidade e honestidade.

O que mais detesta nas pessoas?

A ganância pelo dinheiro.

Acordo ortográfico?

Não.