Paulo Félix, natural de Malaqueijo, concelho de Rio Maior, acaba de lançar o livro ‘Luana e o Astrólogo’, uma obra de ficção onde é demonstrado o método de desenvolvimento pessoal criado pelo autor, baseado na leitura do mapa natal e em técnicas de meditação; mentalizações e visualização criativa. Licenciado em Relações Públicas e Publicidade, Paulo Félix tem 39 anos e conta, nesta entrevista que o interesse por contar histórias, começou muito cedo, tendo frequentado o curso de escrita de guiões para televisão e cinema no Arte 6. Aprendeu Astrologia no Mar Portuguez (Oficina de arte e astrologia de Paulo Cardoso) e actualmente dá consultas de aconselhamento nesta área.

Em que altura da sua vida descobriu a vocação para a escrita?

Penso que por volta dos dezoito anos, e começou a surgir do nada… fiquei um pouco surpreendido porque foi algo que surgiu de repente. Comecei pela poesia. A escrita começou por ser uma necessidade, uma forma de escoar energia acumulada.

O que é que inspirou o livro ‘Luana e o Astrólogo’?

O yoga, que comecei a praticar aos 25 anos e a astrologia; terminei a minha formação nesta filosofia em 2009. É uma visão muito própria da junção destes dois conhecimentos.

Quais são as suas grandes referências literárias?

Livros técnicos, sobre filosofia e religião, das antigas civilizações (…das primeiras civilizações da humanidade.)

Considera que o hábito da leitura pode revelar talentos literários?

Creio que sim ajuda muito… embora os talentos venham de dentro, tem de se ter uma sensibilidade e uma intuição apurada, para criar, não só na literatura, mas em todas as artes.

Acredita que um livro pode mudar a vida de uma pessoa?

Pode sim, se esse livro der as respostas e apontar os caminhos de que a pessoa precisa…

Tem outros projectos em carteira que gostaria de dar à estampa?

Estou a trabalhar num novo livro. Dou consultas de astrologia e em breve irei começar a dar workshops na área da escrita criativa.

Um título para o livro da sua vida?

Teria de ser a biografia de Paulo Félix.

Viagem?

Ao espaço, não só pela adrenalina da viagem, como da paisagem, ver a terra vista do espaço deve ser uma experiência transformadora.

Música?

Gosto de boa música: toda a música que provoca sensações forte como um arrepio, uma lágrima ou nos levar ao êxtase.

Quais os seus hobbies preferidos?

Gosto de ler, escrever, passear, viajar e ouvir música.

Se pudesse alterar um facto da história qual escolheria?

Vou nomear dois que se pudesse eliminava: a inquisição e o nazismo.

Se um dia tivesse de entrar num filme que género preferiria?

Um épico.

Acordo Ortográfico. Sim ou não?

Sim, apenas por questões políticas, é importante preservar o português como língua oficial nos países onde o é actualmente.