A Câmara Municipal de Abrantes desligou todos os sistemas de rega no espaço público, a par de uma campanha de sensibilização para o uso racional da água e reforço de alertas para eventuais rupturas.

Em declarações à agência Lusa, o vereador Manuel Jorge Valamatos (PS) disse que a Câmara de Abrantes tem estado “a acompanhar o funcionamento dos sistemas de abastecimento de água à população, bem como o sistema dos espaços verdes com adopção de medidas para ganho de eficiência, com o objectivo de reduzir os consumos de água”.

Segundo aquele responsável, que também preside aos Serviços Municipalizados de Abrantes (SMA), como “medida excepcional já adoptada, foram desligados todos os sistemas de rega no espaço público”, tendo feito notar que, “até ao momento, a situação de seca não coloca em causa o abastecimento de água a partir da rede pública”.

Numa altura em que todo o país está em situação de seca severa ou extrema, a Câmara Municipal de Abrantes lançou uma “campanha de sensibilização para a poupança de água, em linha com a que está a ser promovida pela Agência Portuguesa do Ambiente”, alertando os cidadãos para a “importância do uso racional da água” e “sensibilizando para as boas práticas que podem ajudar a gerir este precioso recurso”, observou.

Nesse sentido, a autarquia está a apelar à participação cívica de todos os cidadãos, nomeadamente a reportarem situações de ruptura de água para que os serviços possam ser notificados e imediatamente pôr cobro às situações.

O vereador da Câmara de Abrantes disse que a autarquia “reforçou as equipas para contacto directo e imediato” e apelou aos cidadãos para descarregarem a plataforma “SouCidadão”, obtida de forma gratuita no site do município, para que “sempre que exista uma ruptura, seja no espaço público, seja noutro sítio qualquer (..) reportem através da plataforma para que os serviços possam ser notificados e imediatamente possamos pôr cobro às situações”.

Manuel Valamatos disse ainda que a Câmara e os SMAS, na sua “política de gestão de água, em linha com os objectivos de desenvolvimento sustentável, já praticam um conjunto de acções que visam directamente o seu uso mais eficiente e sustentável”, tendo referido o “sistema de telegestão, a beneficiação das condutas para redução de perdas, a acção de piquete na solução imediata de rupturas, o combate rápido às perdas, a optimização da Estação de Tratamento de Água (ETA) da Cabeça Gorda – abastecimento de água ao sul do concelho a partir da Albufeira de Castelo Bode -, a automatização e monitorização de consumos de água, e sistemas de rega em espaço público”.