Cerca de trinta e cinco agentes culturais do concelho de Santarém dão luz verde a mais quatro anos da iniciativa “Verão In. Santarém… é um Espanto!”, integrada no projeto In. Str. A decisão foi tomada ontem à noite, dia 11, em reunião com o município escalabitano, presidida pela vereadora da Cultura, Inês Barroso e que contou também com a presença do mentor do projeto, Nuno Domingos.

Em ambiente construtivo, esta primeira reunião plenária que serviu para discutir um projeto de gestão cultural colaborativa para todos, contou com uma gama alargada de agentes culturais, desde artistas plásticos, músicos, fotógrafos, representantes de grupos de teatro e de grupos folclóricos, bem como de instituições ligadas à dança, ao yoga, ao cinema, ao audiovisual, entre outras.

O Projeto, denominado In.Str incide sobre o Centro Histórico da Cidade e pretende afirmar-se pela inclusão de todos os Agentes Culturais interessados, nomeadamente os Artistas, as associações e as instituições culturais, no respeito pelas diferenças e pelas especificidades, de todos e de cada um, mas também dos públicos e das suas necessidades, com destaque para os residentes do Centro Histórico. Pretende-se assim um In de Inclusão, mas também de interação, de intervenção e de intercâmbio, segundo nota enviada pela autarquia.

Em cima da mesa está a revisão do acordo com os parceiros do projeto e a reconhecida, e também partilhada vontade dos parceiros dos diversos movimentos associativos de construir para a iniciativa “Verão In. Santarém… é um Espanto!” 2018, uma programação cultural qualificada, variada, participada e inclusiva.

De acordo com a vereadora da Cultura, Inês Barroso, “esta iniciativa desde que começou em 2015 não para de crescer. Passamos de 30 mil espectadores em 2015 para 70 mil em 2017”. E acrescenta: “o caminho no deserto já foi feito. Agora há que encontrar novos contributos, novos desafios para que este projeto cultural interrogue os cidadãos e não apenas provoque agrado”.

Inês Barroso sublinha “com o “Verão In. Santarém… é um Espanto!”’ registou-se “uma transformação gigante. Incutiu-se o gosto das pessoas saírem de casa de partilharem e frequentarem espaços públicos uma vez que o Centro Histórico é um local para ser vivo e vivido”.

Sublinha também a importância de evidenciar a expressão “feito em Santarém” não só em território nacional, mas também a nível internacional.

A vereadora da Cultura aproveitou ainda a ocasião para lançar um desafio “é imperioso envolver todos os cidadãos na planificação e na produção dos serviços culturais da nossa cidade”.

Um desígnio partilhado pelos presentes na reunião. E alguns deles já começaram a trabalhar nesta iniciativa que este ano apresentará bastantes novidades.

Nesta primeira reunião plenária foi ainda nomeada uma equipa de seis pessoas (António Canavarro, Carlos Oliveira, Catarina Ferreira, Carlos Amado e Nuno Domingos) para rever o texto do Acordo de Parceria e se necessário adequa-lo à realidade de hoje, passados três anos sobre a sua assinatura inicial.