Escolhida entre mais de três centenas e meia de candidaturas a aldeia do Escaroupim é pré-finalista do Concurso “7 Maravilhas de Portugal – Aldeias” e agora precisa do apoio de todos para conseguir chegar à final.

A Gala “7 Maravilhas de Portugal” dedicada à categoria Aldeias Ribeirinhas, na qual concorre o Escaroupim, acontece no dia 9 de Julho, pelas 21 horas, na RTP1.

Nessa ocasião será lançado um contacto telefónico para o qual o público poderá ligar para votar na aldeia do Escaroupim. A votação irá decorrer apenas durante a Gala.

A Câmara Municipal de Salvaterra de Magos tem na rua uma campanha promocional de distribuição de postais e de flyers no concelho e concelhos vizinhos, tendo já aproveitado certames como a Bolsa de Turismo de Lisboa, a Feira Nacional de Artesanato e Gastronomia da Marinha Grande, o Tall Ships Festival, que decorreu em Sines e, mais recentemente, a Feira Nacional de Agricultura (Santarém) e o Artes & Sons (Glória do Ribatejo) para divulgar a aldeia e/ou a campanha. Ao mesmo tempo, estão a ser colocados Mupis e cartazes em diversos locais.

As 49 pré-finalistas concorrem em sete categorias: aldeias monumento, aldeias de mar, aldeias ribeirinhas, aldeias rurais, aldeias remotas, aldeias autênticas e aldeias em áreas protegidas.

Cada gala será dedicada a uma categoria e a final está marcada para dia 3 de Setembro onde serão apuradas as 7 Maravilhas.

Escaroupim é uma típica aldeia piscatória, formada em meados dos anos 30, por pescadores oriundos da Praia da Vieira (Marinha Grande), que sazonalmente vinham ao Tejo fazer as campanhas de pesca de inverno, procurando o sustento para as suas numerosas famílias. Muitos destes pescadores foram ficando pelas margens do Tejo e formaram pequenas povoações piscatórias ao longo do rio.

Na aldeia do Escaroupim é possível visitar a Casa Típica Avieira e o Museu “Escaroupim e o Rio”. Estes dois espaços culturais juntam-se aos passeios de barco no Rio Tejo, à observação de aves, ao parque de merendas, ao restaurante panorâmico e ao miradouro natural sobre o rio Tejo.

Print