Vencido pela decisão do Supremo Tribunal de Justiça, que anulou a deliberação municipal que proibia a realização de corridas de toiros em Barcelona, o Ayuntamiento da cidade condal não desarma dos seus propósitos e tem tentado todos os estratagemas para impedir o que é legal, retirando, assim, ao seu povo a suprema decisão de assistir ou não aos espectáculos taurinos que ali possam ocorrer. Estranho conceito de democracia…

Pois, não tendo logrado sucesso em nenhuma das suas anteriores jogadas estratégicas, eis que, agora, pretende adquirir a praça de toiros Monumental de Barcelona, o que constituiria, de facto, a sentença final para levar a sua carta a Garcia. Sendo proprietária da praça, naturalmente, usá-la-ia como muito bem lhe parecesse! Resta saber se a família Balañá, proprietária deste tão emblemático tauródromo, estará na disposição de o vender.

Todavia, a nível do Ayuntamiento a tarefa também não se adivinha fácil, pois, o partido ERC – Esquerra Republicana de Catalunya, que apresentou a proposta de aquisição, foi vencido na votação, posto que, apesar de baseados em distintos argumentos, os representantes do Partit dels Socialists de Catalunya, do Partit Popular e dos movimentos En Comú Podem e Ciutadans- C’s votaram contra a concretização deste negócio. Curiosamente, o movimento a que pertence a Alcaldeza Ada Colau, En Comú Podem, é manifestamente antitaurino, porém, a sua votação contrária à aquisição do monumental tauródromo foi justificada por questões económicas.

Resta, agora, aguardar o que tem a dizer a Casa Balañá, cujo silêncio, por enquanto, vai sendo ensurdecedor!