Maria Fernanda Barata (3)O frade ligado a esta lenda é o exemplo da manha que dá bom resultado.

Um belo dia chegou a uma localidade um frade de aspecto cansado e esfomeado.

Abeirou-se de um casal de idosos com quem começou a conversar, dizendo-lhe que tinha consigo uma pedra para fazer sopa.

O casal, mostrando-se admirado, disse ao frade que poderá, ali mesmo, fazer a experiência.

Imediatamente, o visitante lavou muito bem a pedra, que introduziu numa panela com água.

Os idosos logo perguntaram se a pedra chegava para a sopa e o frade, muito esperto, acrescentou que ficaria melhor se levasse um “fiozinho” de azeite, um bocadinho de carne, feijão, batata, etc.

Depois de ferverem todos os ingredientes, a sopa começava a cheirar muito bem, como seria natural.

O frade comeu que se fartou e os idosos, ainda incrédulos, disseram:- “Então e a pedra?”

O frade respondeu que a dita pedra serviria para fazer outra sopa noutro lugar qualquer.

Assim, com esta manha, o frade conseguiu comer um bom almoço e seguir viagem, bem confortado.

Ainda hoje, é lembrada esta lenda por todos os que vão a Almeirim comer a famosa “sopa da pedra” que é um saboroso manjar.

A verdade é que vai gente de todos os lados a Almeirim para saborearem a “sopa da pedra” e ficam encantados e, mais ainda, se comerem o bom borrego ribatejano.

Um cumprimento ao Leitor

Maria Fernanda Barata

*Texto publicado em edição impressa de 25 Setembro