O Conselho Municipal da Juventude do Cartaxo (CMJ) reuniu no dia 19 de Janeiro, no edifício sede do município, para o primeiro encontro do mandato 2017/2021. Pedro Magalhães Ribeiro, presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, presidiu ao Conselho que contou com a participação de duas de dezenas de conselheiros, em representação de associações de jovens, juntas de freguesia ou forças políticas, que atuam na área cultural, desportiva, social, educativa, ou de promoção de cidadania ativa.

Pedro Magalhães Ribeiro assumiu que “a autarquia não pode ainda apresentar um plano de ação, no âmbito da política municipal de juventude, que cumpra os propósitos que definimos no início do mandato anterior, nem que nos deixe satisfeitos enquanto resposta coerente, integrada e continuada aos problemas que temos identificados”.

Para o autarca, “as enormes dificuldades que nos obrigaram a focar a atenção em questões de recuperação da credibilidade do município e de reequilíbrio financeiro, não desculpa as medidas avulsas que ainda assim conseguimos concretizar”, declarando que neste mandato quer um Conselho Municipal da Juventude que se assuma como espaço privilegiado de debate e reflexão, mas “também, como um influenciador activo das tomadas de decisão do executivo, participando na construção de um plano estratégico municipal para a juventude, que possa definir projetos e medidas imediatas, mas também orientações de médio e longo prazo”.

A revisão imediata do regulamento do CMJ, para criar um documento simples e claro que “agilize a abertura do conselho a todos os que nele queiram participar, que preveja reuniões descentralizadas, quer no território, quer em sedes de associações e instituições juvenis, a par da criação de um plano de atividades”, foram as propostas deixadas pelo presidente da Câmara e que foram acolhidas com agrado pelos conselheiros.

Município diagnosticou níveis de participação dos jovens

No âmbito do estudo que iniciou em 2016, com o objetivo de identificar nível de participação, interesses, motivações e necessidades da população jovem do concelho do Cartaxo, a área de Educação e Juventude do Município apresentou ao CMJ os resultados do inquérito aplicado aos estudantes do 7.º ao 12.º anos – que frequentam os estabelecimentos de ensino do concelho.

Pedro Magalhães Ribeiro referiu a importância do estudo enquanto “instrumento de diagnóstico e ferramenta de planeamento”, e enquanto exemplo do trabalho “que as parcerias estabelecidas no âmbito do CMJ podem desenvolver” – referindo-se ao facto de o estudo ter sido proposto neste conselho e ter sido executado em conjunto pela área de Educação e Juventude do Município, pelos agrupamentos de escolas, quer o Agrupamento de Escolas D. Sancho I de Pontével, quer o Agrupamento de Escolas Marcelino mesquita do Cartaxo, pela Associação C.Part e pela Associação de Estudantes da Escola Secundária 2015/2016.

O inquérito recolheu informação com vista à caracterização da população escolar, com enfoque nos seus hábitos de participação cívica, associativa e voluntária, nas suas expectativas em relação à escola e à comunidade, permitindo aos inquiridos elencar necessidades sentidas, áreas nas quais consideram que a escola ou município poderiam reforçar a sua ação, assim como, apontando os principais problemas que os afetam.

Os resultados apresentados foram debatidos pelos conselheiros com vista à elaboração de conclusões conjuntas, que serão consideradas na elaboração do Plano de Atividades que o CMJ espera concluir e aprovar na próxima reunião, que deverá ocorrer no primeiro trimestre de 2018.