As Jornadas Europeias do Património (JEP) arrancaram hoje, dia 22, decorrendo até domingo, 24 de Setembro, sob o tema “Património e Natureza”.

De forma a marcar estas jornadas, o Correio do Ribatejo e a Escola Superior Agrária de Santarém (ESAS), associaram-se para dinamizar uma conferência e inaugurar uma exposição.

“Modos de Produção Agrícola e a Protecção da Natureza”, foi o título da comunicação a cargo das agrónomas Joana Godinho e Maria do Céu Godinho, e “Comunicado aos Lavradores” dá o mote à mostra organizada por Teresa Lopes Moreira (Correio do Ribatejo) e Ana Teresa Jorge (ESAS).

A exposição dá a conhecer o conjunto de artigos publicado pelo Eng.º Eduardo Sousa de Almeida (1887-1959) no ‘Correio da Extremadura’, como responsável do Laboratório de Sanidade Vegetal da Escola de Regentes Agrícolas de Santarém, entre os anos de 1933 e 1935, entre outra bibliografia do mesmo autor.

Estas iniciativas integram-se nas JEP deste ano, sendo que a Direcção-geral do Património Cultural (DGPC), pretende “chamar a atenção para a importância da relação entre as pessoas, as comunidades, os lugares e a sua História, mostrando como o património e a natureza se cruzam nas suas diferentes expressões”, mais urbanas ou mais rurais.

Também chama a atenção para “a necessidade de preservar e valorizar esta relação, fundamental para a qualidade da vida, para a qualificação do território, e para o reforço de identidades”.

A relação património e natureza “pode ser uma fonte inesgotável de conhecimento, de criatividade e de recreação, e nela reside um enorme potencial para um desenvolvimento cultural, social e económico equilibrados”, sustenta.

As jornadas pretendem também este ano enfatizar o desenvolvimento sustentável, tendo em conta as alterações climáticas decorrentes do aquecimento global do planeta, e os fenómenos daí decorrentes, como cheias, deslizamentos de terras e incêndios, “que começam a colocar em causa a permanência de muito património construído e natural para o futuro”.