Cernelha01– O Grupo de Forcados do Aposentoda Chamusca iniciou no passado dia 6 de Agosto um autêntico périplo internacional, que terminará amanhã, sábado, dia 15 de Agosto, actuando em praças de Portugal, de Espanha e de França. Anote as datas das diversas corridas – Albufeira, 6 de Agosto (2 Toiros); Amarante, 9 de Agosto (3 Toiros); Bayonne, 13 de Agosto (5 Toiros); e Saint Remy de Provence, 15 de Agosto (5 Toiros).

– O Grupo de Amadores de Santarém foi homenageado em Tomar pelo seu Centenário, tendo sido descerrada uma placa alusiva ao acto. Nesta noite tão agradável, destaca-se a pega efectuada, com todo o valor e mérito, pelo forcado José Maria Lebre, que, não obstante estar já retirado há alguns anos, fez questão de pegar nesta corrida na sua terra natal. O Cabo Diogo Sepúlveda compreendeu o gesto, autorizou-o, e ainda bem, pois, assim, se viveu mais um grande momento nesta temporada da consagração. As restantes pegas do Grupo de Santarém foram concretizadas por Francisco Graciosa, à primeira tentativa, e por António Imaginário, à quarta.

– Nesta noite de sexta-feira, 14 de Agosto, realiza-se a tradicional Corrida do Emigrante em Abiul com direito a transmissão televisiva na RTP1, a partir das 22 horas. Actuam os cavaleiros Luís Rouxinol, Gilberto Filipe e João Telles Jr., que enfrentarão toiros de António Silva os quais serão pegados pelos valorosos Grupos de Forcados Amadores de Santarém e de Alcochete.

– Neste mês de Agosto teve lugar a importante Feira de Alcochete, organizada pela empresa Toiros & Tauromaquia, Lda., de António Manuel Cardoso, à qual não fizemos referência. Opção tomada em consequência do facto deste empresário taurino apenas credenciar críticos e fotógrafos com “carteira profissional”. Eu não tenho carteira de jornalista, apesar de escrever em jornais há mais de quarenta anos, mas sempre com o estatuto de amador. Nunca pedi uma senha ao empresário para qualquer espectáculo organizado por si, pelo que sempre que assisto a corridas montadas pela empresa Toiros & Tauromaquia, Lda. pago o meu bilhete e faço a respectiva crónica. O que, aliás, é prática habitual da minha parte em relação à grande maioria das empresas. Agora poderia fazer da mesma maneira, mas propositadamente não quis, e ainda que assistisse a algumas das corridas, não fiz a crónica. Que me desculpem os Aficionados Leitores do “Correio do Ribatejo”, mas, há coisas com as quais não pactuamos.

LM