Santarém recebe entre os dias 26 e 28 de Janeiro, no Convento de São Francisco, a primeira edição do Festival Court Atlante, “evento pioneiro do luxo em Portugal”, adiantou Artur Casaca, promotor do evento, em conferência de imprensa, na passada sexta-feira, dia 12 que contou ainda com as presenças dos vereadores da Câmara Municipal de Santarém, Inês Barroso, Jorge Rodrigues e Ricardo Rato.

Segundo Artur Casaca estão confirmadas 13 empresas nacionais de prestígio internacional dos sectores do vinho, mobiliário, pele, pedra, joalharia, calçado, antiguidades, porcelanas, chapelaria, imobiliário, perfumaria, design, chocolataria e têxtil, presentes em mais de 80 mercados mundiais com os seus produtos de luxo e que vão trazer a Santarém alguns dos seus produtos numa iniciativa organizada com o apoio da autarquia.

Conferências, debates, workshops, concertos, mostras gastronómicas e degustações terão lugar nos três dias do certame, e onde se esperam empresas, empresários e personalidades ligadas à moda e ao sector dos produtos de luxo, oriundos não só de Portugal como de países como a Espanha e Japão.

Segundo a organização, esta primeira edição, “não será apenas um encontro e exposição de primeira-água da nova fileira do luxo português”. Artur Casaca pretende que o festival seja “uma montra activa, deslumbrante e vibrante da fileira, dos seus principais sectores e agentes”, afirmou na conferência de imprensa.

O primeiro dia do evento (26 de Janeiro, sexta-feira) contará com um ‘cocktail’ servido pela Comissão Vitivinícola Regional do Tejo, seguido de um ‘showcooking’ com o chef escalabitano Rodrigo Castelo e concerto da guitarrista Marta Pereira da Costa.

No sábado, dia 27, tem lugar um debate sobre o luxo em Portugal com Misha Pinkhasov, autor do livro “Real Luxury Book”; Filipe Lourenço, fundador da Private Luxury Real Estate, entre outros.

A noite termina com a actuação de Moullinex.

Domingo (dia 28) haverá um debate sobre o turismo de luxo em Portugal com Vasco Ribeiro dos Santos, professor universitário e autor do livro “Cortesia, protocolo e etiqueta na hotelaria de luxo”, seguido de um ‘showcooking’ de comida gourmet vegetariana com o chefe parisiense Thomas Dagorn. Neste dia, à tarde, as portas serão abertas ao público em geral, já que a entrada se fará por convites ou bilhetes previamente comprados junto de promotores.

O Festival tem como objectivo valorizar “as indústrias mais ancestrais e sedutoras que são motor crescente da nossa economia pelo valor das suas exportações, empregos gerados e potencial”.

“O festival também cumpre o papel de as unir e reconhecer devidamente”, assegura o promotor do evento.

Artur Casaca refere que se trata de um evento “muito visual, persuasivo, original e a montante contará com a presença de celebridades”, conclui.