Convento_CristoO Convento de Cristo, em Tomar, acolhe hoje especialistas que vão debater questões em torno das “paisagens culturais”, com enfoque nos exemplos de Sintra e do Douro, inscritos na lista do Património Mundial.

A iniciativa da Direcção Geral do Património Cultural reúne académicos, mas também autarcas e técnicos, para debater um tema que a directora do Convento de Cristo, Andreia Galvão, considerou ser da maior importância para a própria sustentabilidade futura do património cultural.

A decorrer no Scriptorium, o encontro “Paisagens Culturais – Conceitos e Práticas” vai debater questões como o conceito de Paisagem Cultural e a sua evolução, a Gestão de Paisagens Culturais com enfoque nos casos portugueses inscritos na lista do Património Mundial, consequências, desafios e oportunidades das Paisagens Culturais, além do papel da UNESCO.

Os Planos de Gestão, a classificação e inventariação do património paisagístico com valor cultural, a protecção de paisagens antropizadas, a relação social e institucional entre paisagem e património cultural, o envolvimento das comunidades e a função das tutelas, são outros temas em debate.

Andreia Galvão apontou o próprio Convento de Cristo como exemplo de um monumento implantado num território, inserido num sistema auto-sustentado, que inclui uma mata, uma horta, um pomar, um sistema de regadio, de açudes, de moinhos, e é associado a comendas da Ordem de Cristo, como a produção de azeite ou de vinho.

“É toda uma herança paisagística. A Ordem de Cristo transformou a paisagem”, disse, sublinhando que cada vez mais os monumentos devem ser lidos e potenciados no seio de um território.

Download PDF