O FITIJ – Festival Internacional de Teatro e Artes para a Infância e Juventude, realiza-se em Santarém, de 1 a 8 de Outubro e foi apresentado ontem, ao fim da tarde, no W Shopping, em Santarém, um dos parceiros do evento que vai já para a 13.ª edição.

Cinco espaços de Santarém – Teatro Sá da Bandeira, W Shopping, Palácio Landal, Hotel Santarém e uma loja devoluta no número 111 da rua 1.º de Dezembro – vão receber, a partir de dia 01 de Outubro, seis exposições de fotografia, artes plásticas e de adereços teatrais.

Ao todo, 43 espectáculos por grupos de seis países – Portugal, Espanha, Inglaterra, Itália, Noruega e Brasil.

“A ideia fundamental é que o teatro e a cultura têm de estar para além da crise e da austeridade”, afirmou Nelson Ferrão, em nome da organização.

O FITIJ possui, este ano, novos parceiros que permitem “dar confiança” ao projecto beneficiando, também eles, da “montra” que é hoje o Festival.

Nelson Ferrão destacou ainda o envolvimento das escolas, nomeadamente, dos Agrupamentos Dr. Ginestal Machado, Sá da Bandeira, D. Afonso Henriques, e do Centro de Formação da Lezíria do Tejo que este ano também vão receber espectáculos, numa tentativa de motivação de novos públicos.

Segundo os organizadores, o FITIJ é uma “marca” que vai além do teatro e constitui-se como “âncora cultural no concelho e na região”, com os espectáculos a estenderem-se aos concelhos de Almeirim e Cartaxo.

O trabalho em rede, a conquista de novos espaços na cidade para actividades e as oficinas Criançando, bem como o estender do projecto a novos municípios da região, e intercâmbios entre festivais nacionais, permitem “dar escala” ao FITIJ e ao “desenvolvimento cultural da região”.

O FITIJ aparece agora como uma Associação Cultural, para a Infância e Juventude, mas também para as famílias e adultos, alargando-se igualmente a outras artes como a música, a dança, a arte urbana e as artes digitais.

Para este ano, os organizadores destacam a ligação às escolas e à comunidade regional, espectáculos para jovens e famílias e o FITIJ’Artes na rua, dias 7 e 8, para “motivar outros públicos dos arredores a ver espectáculos que não são habituais nesses territórios”.

Quatro ‘flashmob’, “acontecerão inesperadamente e surpreendentemente ao virar de uma esquina”.

Destaque ainda para o Scalsonnus, sons recolhidos por Diogo Cocharro na cidade, “arte sonora” com recurso a novas tecnologias digitais e para a arte urbana, a cargo de João Domingos que apresentará uma instalação visual sobre as ‘Mulheres de Santarém’: Georgina da Costa Perdigão, Mariana Ginestal Machado, Eulália Teigas Marques e Rosalina Melro, nas traseiras do W Shopping, a 5 de Outubro.

Do programa, destaque para o encontro de artistas escalabitanos “Filhos da Terra”, dia 3, às 21h30, no Fórum Actor Mário Viegas, com o objectivo de “cruzar as várias áreas artísticas para reflexão e debate sobre temas culturais, artísticos e científicos contemporâneos”, no qual serão intervenientes João Arrais, Paulo Patrício, Pedro Oliveira, Pedro Salvador e Susana Alves, “artistas do concelho que trabalham no exterior”.

A exposição “Em Cena”, no W Shopping, assenta na montagem das imagens artísticas dos grupos participantes no FITIJ, estrangeiros e nacionais, que reflectem os trabalhos artísticos que Santarém recebe, e servem para cativar públicos para as actividades do Festival, apresentadas de forma criativa, sob orientação de José Gaspar.

A exposição “Nupalco”, no Teatro Sá da Bandeira, apresenta uma visão do FITIJ-2016 pela objectiva dos fotógrafos escalabitanos Paulo Semblante Mendes e Vítor Lopes, que viram e fizeram click a expressões corporais, realçando o drama e a vida do estar em palco. Ao todo são 12 fotos de grandes dimensões, para dar uma “perspectiva visual e documental do que se passa, no e para lá do palco”, refere Nelson Ferrão.

O FITIJ contará ainda com uma acção de formação sobre a voz, em Alcanede, com os Commedia dell’Arte (grupo italiano). No Agrupamento Ginestal funcionará um curso profissional de artes do espectáculo e as escolas acolhem ainda diferentes espectáculos.

Uma residência de criação artística em dança contemporânea, com formandas de dança do Círculo Cultural Scalabitano e do Conservatório de Música de Santarém é outra das apostas desta 13.ª edição do FITIJ.

Nelson Ferrão, durante a conferência de imprensa, lembrou a importância das entidades parceiras poderem apoiar o festival logo no princípio do ano, nomeadamente através do estabelecimento de protocolos, logo no início do ano, para que os organizadores possam saber com o que contam na hora de definir o programa e a vinda dos grupos, nomeadamente estrangeiros.

O responsável lamentou, contudo, a ausência de resposta da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, à qual terá sido solicitada colaboração na comunicação e divulgação do evento.

“O FITIJ é um Festival reafirmado no concelho e na região. E o concelho de uma capital de distrito deve desejar garantir condições para que ele continue?”, interrogou, em jeito de “reflexão”, Nelson Ferrão na apresentação do evento à comunicação social.

A conferência de imprensa de ontem, no W Shopping de Santarém contou com as presenças do co-organizador Inatel e das entidades parceiras, Câmara de Santarém, União de Freguesias de Santarém, W Shopping, Rodoviária do Tejo e Montepio.

O Festival Internacional de Teatro para a Infância e Juventude teve a sua primeira edição há 24 anos, intercalando, durante um período, com a Bienal Internacional de Palhaços e Artes de Circo. Depois de um interregno de quatro anos por falta de apoios, regressou em 2015 com “nova dinâmica”, realçou Carlos Oliveira, da comissão organizadora.