Os ganadeiros David Ribeiro Telles, Fernando Palha, D. João Passanha e o aficionado goleganense Carlos Barreiros foram distinguidos, a título póstumo, pela Escola de Toureio ‘Joaquim Gonçalves’, (Manuel Coimbra sê-lo-á posteriormente), ontem à noite, em Santarém, no decorrer da III Gala dos Trinufadores’2016 que a Escola de Toureio de Pedro Gonçalves organiza e que teve como ponto mais alto a atribuição do ‘Troféu Prestígio’ ao Matador de Toiros vila-franquense José Júlio.

Emocionado, pela homenagem de que foi alvo, o Maestro agradeceu a “afición sem limites” de Pedro Gonçalves e enalteceu “a sua luta para que saiam toureiros de Santarém”.

Mestre Batista e José João Zoio foram lembrados na sua breve e emocionada intervenção que não esqueceu Ricardo Rhodes Sérgio “por estarmos” – disse – “numa terra de forcados”.

O distinguido lembrou ainda António João Ferreira e outros que lhe “passaram pelas mãos”, numa vida “feita de ciúmes, intrigas e invejas” de que foi alvo.

“Dei a vida inteira pela Festa de Toiros”, resumiu o Matador.

Antes da intervenção de José Júlio, já o sociólogo Luis Capucha havia feito a apresentação do livro “Vida e Tauromaquia”, da autoria de Alberto Franco e subordinado à trajectória do prestigiado Matador de Toiros vila-franquense.

“Não é uma obra qualquer”, frisou o estudioso da Tauromaquia popular, “é um livro muito bem escrito e escorreito, está cheio de tauromaquia e que todos os aficionados devem ler”, afirmou.

Luis Capucha não tem duvidas: “Vida e Tauromaquia” deverá servir de fonte de inspiração para os novos toureiros”, sendo, igualmente, “um livro de toureiro de gerações”, que, frisa, “nunca será esquecido”.

“Este Troféu são vocês todos”

A III Grande Gala Triunfadores’2016 promovida pela Escola de Toureiro Joaquim Gonçalves, contou com a presença de quase 200 convidados que encheram um salão do Restaurante ‘O Quinzena’ no Santarém Hotel.

Na hora de receber o Troféu Prestígio para Bandarilheiro, Pedro Gonçalves, visivelmente emocionado, agradeceu a presença de todos e a insistência que recebeu de muitos amigos para que a Gala Triunfadores se realizasse novamente este ano.

“Este Troféu são vocês todos,” enfatizou, partilhando uma curiosa ambição: “gostava de voltar a pegar um toiro nos meus 50 anos” (que o bandarilheiro festejará em Outubro próximo).

Momentos altos da noite foram muitos, entre os quais destacamos a entrega do Prémio Prestígio a Francisco Vassalo, antigo Cabo do Grupo de Forcados Amadores de Azambuja, uma vida dedicada à forcadagem, nomeadamente ao Grupo de Azambuja que marcou boa presença nesta Gala através de actuais e antigos elementos e que ‘encheram o palco’ numa foto conjunta.

Este ano, o Troféu Cavaleiro Tauromáquico ficou nas mãos de Filipe Gonçalves que lembrou o “pioneirismo” dos portugueses na arte de lidar toiros: “não devemos entregar esta nossa arte a outros”, rematou.

Antes, já Parreirita Cigano, natural do Cartaxo, havia recebido a distinção ‘Cavaleiro Praticante’.

Ambos – Filipe Gonçalves e Parreirita – saudaram a presença de Manuel Jorge de Oliveira, muito elogiado no decorrer da Gala, que referiram como figura inspiradora da sua arte de tourear: “aprendi com ele a ser o homem que sou hoje”, afirmou Filipe Gonçalves.

No toureio a pé, Manuel Dias Gomes foi distinguido como ‘Matador de Toiros’. Reconheceu neste prémio “uma força e um incentivo que nos ajuda a subir, em cada dia, mais um degrau na carreira de Matador de Toiros”, salientou.

Ainda a alimentar o sonho e a mesma ambição, Diogo Peseiro foi reconhecido na categoria Novilheiro e recordou “a perseverança e espírito de sacrifício” necessários para atingir esse patamar. Agradeceu ainda a Pedro Gonçalves “as portas que se abriram”, sobretudo no país vizinho, onde, reconhece, “é muito difícil entrar”.

A Gala distinguiu ainda Lourenço Luzio como Director de Corrida que dedicou o seu prémio à figura dos avisadores – José Carlos Nascimento e Fernando Galinha – também presentes na sala e que “nem todas as pessoas, até mesmo os intervenientes na Festa, sabem para que servem e que fazem a ponte entre o director de corrida e o que se está a passar na praça”, explicou.

A Gala deixou no ar muitos apelos em defesa da Festa, destacando-se, entre outras, a intervenção de ‘Paco’ Duarte que elogiou a perseverança de Pedro Gonçalves: “é digna de ser apoiada a tua afición e a paciência que tens para ensinar os jovens”, afirmou o bandarilheiro que em breve completará 66 anos de idade.

Num jantar que se prolongou até de madrugada foram ainda distinguidos o Peão-de-Brega Cláudio Miguel, o Bezerrista Alfonso Ferrera, o Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca de Xira e o Ganadeiro Manuel Veiga.

A Escola de Toureio “Joaquim Gonçalves” instituiu ainda as categorias: “Aficionado” – Nazareno do Carmo; “Carreira” – José António Pinto (Embolador); “Afición” – Major António Valente, “um exemplo para todos os que gostam da Festa”, nas palavras de quem lhe entregou o Prémio, o Professor Jorge Justino, presidente do Instituto Politécnico de Santarém, outro grande aficionado; “Divulgação da Tauromaquia” – Clube Taurino de Alter do Chão e a Escola de Alter; “Imprensa” – “Farpas Blogue” e “Comunicação Social” – Jornal “Correio do Ribatejo” que recebeu o Troféu pelas páginas que dedica, em cada edição, à Festa de Toiros. Uma rúbrica – ‘Ecos do Burladero’ – assinada por Ludgero Mendes que subiu ao palco para receber a distinção.

“Desagrada-me a crítica que parece ser assinada por anti-taurinos”

O também Administrador deste Jornal, que recebeu o Prémio pelo segundo ano consecutivo, afirmou que “este Jornal quer servir a Festa servindo os seus Leitores”.

“Nem andamos com os toureiros às costas nem os derrubamos para o chão. Somos pela Festa e sempre a favor da Festa”, frisou.

Segundo Ludgero Mendes a sua função de redactor obriga-o a “um grande exercício de isenção”, reconhecendo o “mundo complexo” em que se move.

Contudo, o crítico não tem duvidas: “quem quer servir a Festa terá de saber exaltar os grandes momentos”.

As derradeiras palavras da sua intervenção foram reservadas para a crítica, função que segundo Ludgero Mendes também atravessa “dificuldades”.

“Desagrada-me a crítica que parece ser assinada por anti-taurinos”, concluiu.

A apresentação da Gala esteve a cargo do aficionado ribatejano Edgar Nunes e foi abrilhantada pelo Coro do Instituto Politécnico de Santarém e pelo Grupo de Sevilhanas “Salero & Alma”.

João Paulo Narciso

23567891010a1111a121313a14151617181920212223