Pedrito de Portugal nas Caldas RainhaCom razoável afluência de público – mas muito menos do que era expectável – decorreu no tauródromo caldense um agradável mano-a-mano entre o cavaleiro João Telles Jr. e o matador de toiros Alexandre Pedro “Pedrito de Portugal”, tendo o Grupo de Forcados Amadores de Alenquer – que não é membro da Associação Nacional de Grupos de Forcados e, por isso, não está abrangido pelo veto da Associação ao empresário Arnaldo Santos – consumado as pegas dos toiros lidados a cavalo.

João Telles Jr. rubricou uma excelente actuação perante um “Charrua” de eleição e o marialva da Torrinha sacou partido dos seus vastos argumentos técnicos e artísticos para construir uma lide memorável, onde tudo saiu perfeito. As restantes lides tiveram igualmente muita qualidade e alguma emoção – até uma queda, felizmente sem consequências – e comprovou-se uma vez mais que estamos perante uma das mais importantes figuras da nova geração do toureio equestre.

“Pedrito de Portugal” é um toureiro de arte profunda e sublime! Mau grado o reduzido número de actuações que faz em cada temporada, aparece quase sempre a um elevado nível, derramando arte e encanto, tanto em perfumados lances de capote como em inspiradas tandas com a muleta. Quando os seus oponentes lho permitiram, e o primeiro de Torre de Onofre saiu à medida, “Pedrito” destapou o frasco e inebriou todo o respeitável, que vibrou intensamente com o seu labor; quando os hastados saíram menos colaborantes pudemos apreciar o saber e o ofício de um toureiro digno, sério e de um estilo tão personalizado e importante. Se se tratasse de uma competição desportiva diríamos que nesta contenda se verificou um empate, porém, onde os golos tiveram uma qualidade superior. Para que a tarde fosse quase perfeita – e só não foi completa porque nem todos os hastados cumpriram como se desejava – o Grupo de Forcados Amadores de Alenquer rubricou uma actuação portentosa, com três pegas consumadas galhardamente ao primeiro intento, por intermédio de Jaime Mendes, Diogo Trindade e André Laranjinha, bem ajudados pelo Grupo.

Peões-de-brega e bandarilheiros andaram em bom plano, tanto com o percal como com as bandarilhas, cumprindo referir a alternativa de Pedro Vicente, que teve como “padrinho” o escalabitano Pedro Gonçalves. Direcção atenta e correcta de Francisco Calado, coadjuvado tecnicamente pelo médico-veterinário Dr. João Nobre.

*Texto publicado em edição impressa de 2 Outubro

Download PDF