1

“Elevem bem alto a Bandeira de Santarém”. A sugestão partiu de Martinho da Silva, o decano dos advogados de Santarém, no momento em que era descerrada uma placa toponímica com o seu nome, esta tarde, em Santarém, entre a Rua Marquês de Pombal e a Avenida Dr. Carlos Abreu.

A homenagem reuniu familiares e amigos de Martinho da Silva, bem como um grande número de advogados desta cidade que assim se associaram a este reconhecimento público.

Emocionado, Martinho da Silva apelou para que “todos trabalhemos pela nossa cidade”, já que esta “precisa de nós”.

Salientou o facto da sua família estar “há 100 anos” em Santarém e de ser o terceiro elemento a ser agraciado com a Medalha de Ouro da Cidade, depois de Joaquim dos Santos Martinho e de António Martinho do Rosário, ‘Bernardo Santareno’.

“Também, como eles, sempre trabalhei por esta cidade”, referiu.

“Sempre que ia aos alfarrabistas a Lisboa, chamavam-me o ‘maluquinho de Santarém’”, lembrou o homenageado em tom de graça, para sublinhar a sua intensa e constante busca por todo e quaisquer documentos sobre Santarém, de que é, ainda hoje, um apaixonado coleccionador.

O facto foi notado pelo presidente da autarquia que agradeceu a Martinho da Silva os documentos que ele comprou sobre Santarém e que generosamente doou à Câmara Municipal.

Ricardo Gonçalves sublinhou ainda o facto de Martinho da Silva ser o “patrono de muitos jovens advogados da cidade”.

O edil entregou ao homenageado a bandeira da cidade “que todos sabemos que ama profundamente”, disse.

Também Jorge Justino, presidente do Instituto Politécnico de Santarém, usou da palavra para sublinhar o percurso de vida do homenageado, enquanto “homem ligado à literatura” e “preocupado com os direitos humanos”. O professor destacou ainda as duas Medalhas de Ouro com que os Municípios de Alcanena e Santarém o agraciaram, a sua ligação à defesa do património e o facto que mais sorrisos motivou na assistência: “ser o fundador e sócio número 1 da Casa do Benfica de Santarém”.

Logo após o descerramento da placa toponímica, o presidente da União de Freguesias da Cidade de Santarém, Carlos Marçal, notou que com a atribuição do nome de rua a Martinho da Siva se cumpria “o dever de gratidão por parte da autarquia” para com o cidadão, o reconhecimento do seu trabalho, da sua entrega à comunidade e o contributo à valorização da nossa vida democrática”, afirmou Carlos Marçal.

Martinho da Silva, causídico nascido no Espinheiro, concelho de Alcanena, em 8 de Abril de 1931, fez todo o seu percurso profissional em Santarém.

Depois de já lhe ter sido atribuída a Medalha de Ouro, o Município decidiu agora emprestar o seu nome a uma das ruas de Santarém numa cerimónia que decorreu pelas 15h00, deste sábado.

Martinho da Silva, um Homem de causas, que dedicou a sua vida, de forma incondicional, à Justiça e à Cidadania, estudou no Liceu Nacional Sá da Bandeira, em Santarém, e licenciou-se em Direito em Lisboa.

Começou a exercer advocacia em 1959 na cidade de Santarém, onde se tornou uma referência cívica e um exemplo pela sua postura, ética e interesse pela causa pública: trabalhou sempre em prol da defesa de ideias e foi sempre uma voz firme e esclarecida da cidade.

Homem de personalidade conciliadora, responsável pela formação de várias gerações de advogados, foi membro do Conselho-Geral da OA, subdelegado do Procurador da República e fundador do Partido Socialista em Santarém, entre muitas outras facetas.

Tem sido também um membro activo do movimento associativo e cultural da cidade, tendo ajudado a fundar a Casa do Benfica, em Santarém ou a Associação Forense.

Portador da Cédula Profissional 1945 L, reformou-se a 1 de Maio de 1996 mas continuou em actividade até 2004, ano em que recebeu a cruz da Ordem Internacional do Mérito do Descobridor do Brasil, Pedro Álvares Cabral.

No final do ano de 2003, a seu pedido, cessou as funções de Patrono Formador que, no âmbito do apoio à formação complementar aos Estagiários da área do C.D.E., vinha exercendo desde Maio de 2001 junto da Delegação de Santarém.

Foi distinguido como “Colaborador de Mérito” pelo Correio do Ribatejo, a partir da edição n.º 6551, de 6 de Janeiro 2017, deste jornal centenário. O seu retrato está exposto na “Galeria dos Notáveis” deste semanário desde o dia 28 de Fevereiro de 2015, data em que lhe foi prestada uma homenagem pelo seu percurso de vida.

2 3