Os membros da Comissão para a Instalação do MAVU – Museu de Abril e dos Valores Universais tomaram posse ontem à noite, no Salão Nobre dos Paços do Concelho.

A Comissão, constituída pelo executivo municipal, Presidente e líderes das bancadas com assento na Assembleia Municipal, presidente da União de Freguesias da Cidade de Santarém, entre outras individualidades do Concelho, tomou posse nesta sessão presidida por Ricardo Gonçalves, Presidente da Câmara de Santarém.

O Presidente da Comissão deu posse aos vereadores do Executivo: Susana Cristina Coelho da Silva Pita Soares, Maria Inês Leiria Barroso Ferreira Lopes, Luís Manuel Sousa Farinha, António José da Piedade do Carmo, Celso Ricardo Pimenta Braz, Francisco Miguel Baudoin Madeira Lopes, Paula Alexandra Machado De Sousa Canavarro, a António Júlio Pinto Correia, Presidente da Assembleia Municipal de Santarém, a Carlos António Marçal, Presidente da União de Freguesias da Cidade de Santarém, a Armando António Leal Rosa, Dina Maria Gomes Rocha, Dúnia Rosale Entrudo Palma, João Luis Madeira Lopes, Joaquim Augusto Queiroz Frazão Neto, Joaquim Manuel Correia Bernardo, José Augusto Rodrigues, José Luis Marques Cabrita, Carlos António Pereira Amado, José Miguel Raimundo Noras, Luís António Santos Nunes Mata, Luísa Maria Gonçalves Teixeira Barbosa, Marcelo Ferreira Morgado, Maria Alecta Marques Cardoso Rocha Matias Ferreira, Maria Manuel Cardoso Vieira Dos Santos, Nuno Ferreira Da Costa Domingos, Ramiro José Jerónimo Matos, Ricardo Jorge Figueiredo Segurado, Tiago Alexandre Freitas Mendes Preguiça, Vera Mónica Petulante Duarte e Vitor Manuel De Carvalho Franco.

Ricardo Gonçalves enalteceu o trabalho desenvolvido por esta Comissão que muito tem trabalhado para que, “no futuro, o Museu seja, não só de Santarém, não apenas nacional, mas internacional, que vai desde a história da Revolução Francesa até aos dias de hoje, com uma marca indelével do 25 de Abril”.

Correia Bernardo, Capitão de Abril e membro do MAVU, referiu que “este Museu consubstancia um projecto ambicioso, que vai dignificar a cidade de Santarém”, e acrescentou que o projecto “nasceu na EPC- Escola Prática de Cavalaria, e abrange todos os valores das Portas que Abril abriu, que vieram desde o dealbar da Revolução Francesa, e que viabilizou o nosso estar, numa acção conjunta, com um leque bastante alargado de elementos de todos os partidos políticos com representação na Assembleia Municipal de Santarém, e que, após longas e frutuosas discussões, norteou-se por duas perspetivas: um museu que sirva de exemplo e que seja maestro para as gerações vindouras e que seja pedagógico e abrangente, dignificando Santarém com valores que sirvam de chamariz à Cidade, como um Museu que se possa mostrar ao Mundo como uma Obra bem feita”.

A Comissão para a criação do Museu 25 de Abril e dos Valores Universais foi apresentada no dia 25 de Julho de 2016, a partir do princípio de que “Santarém é uma Cidade em que se faz História”, e que, por isso, Santarém tem o dever de colaborar e contribuir para salientar os valores da História que sustentaram a acção do 25 de Abril e que se fundamentam nos valores universais e nos direitos humanos, de modo a afirmar Santarém como cidade fundamental para a compreensão do 25 de Abril, dos Valores Universais e da Democracia em Portugal, com destaque para o papel da Escola Prática de Cavalaria e de Salgueiro Maia, no contexto da defesa desses mesmos valores e ideais.

Exaltar os valores da coragem, da abnegação de homens como Salgueiro Maia e dos seus colegas de armas, estrategas e executantes exemplares na consecução das operações militares que se apresentaram como intérpretes e defensores do Bem Comum e dos Direitos do Homem e que contribuíram para o estabelecimento da Democracia em Portugal, bem como valorizar não só a acção militar, mas também o papel dos cidadãos Scalabitanos ou residentes em Santarém, que se envolveram na defesa dos mesmos e defender os valores do Bem Comum, em detrimento dos individuais, bem como da Democracia, da Liberdade, Igualdade e Fraternidade, são também os objectivos do MAVU.

A Câmara de Santarém e a Comissão do MAVU estão a elaborar o programa museológico que vai servir de linha orientadora para o processo de criação do Museu e do espaço físico em que vai ser instalado.

Esta comissão vai constituir diferentes grupos de trabalho, de modo a desenvolver e aprofundar as diversas áreas, tais como: estudo e investigação, museologia, arquitectura, comunicação, multimédia e imagem, divulgação e marketing cultural, para dinamizar a criação do museu e promover uma dinâmica de parcerias, que permitam criar uma rede de interesses locais, regionais e nacionais com outros serviços e instituições.

MAVU 2

 

Download PDF