Moradia da família César Henriques na avenida 5 de Outubro. Fotografi a de Zeferino Silva

Moradia da família César Henriques na avenida 5 de Outubro. Fotografi a de Zeferino Silva

Alfredo César Henriques nasceu na cidade de Santarém, em 1852, sendo irmão do médico e proprietário em Almeirim, João César Henriques. Aos trinta anos adoeceu de tuberculose. Em busca da cura para a doença que o atormentava instalou-se na serra da Estrela. Na Estância da Montanha das Pedras Salgadas construiu a “Casa da Fraga”, em 1882, aproveitando um conjunto de blocos de granito para instalar os anexos da residência, a mil quatrocentos e setenta e cinco metros de altitude. A moradia esteve na origem das restantes construções que surgiram em redor, todas destinadas à cura da tuberculose. Alfredo César Henriques manteve o seu tratamento através “dos ares da altitude”, até 1884, por conselho do médico José de Sousa Martins (1843-1897). Posteriormente fundou o sanatório da Covilhã. Este foi um dos proprietários das Águas Cloretadas de Alcanhões no início da sua exploração.

Do seu casamento com Júlia Etelvina da Silva Henriques nasceram dois  lhos, Alfredo César Henriques Júnior que foi funcionário do Banco de Portugal em Santarém e Raul César Henriques, que na década de 20 residia em Lisboa.

Alfredo César Henriques faleceu na sua casa na avenida 5 de Outubro, na madrugada de 2 de Outubro de 1926, vitimado por uma síncope cardíaca. O seu funeral partiu da igreja de Santa Maria da Alcáçova para o cemitério dos Capuchos, estando a direcção do funeral a cargo do major Egídio de Sousa (1865-1943).

Teresa Lopes Moreira

Download PDF