A missa de sétimo dia em memória de João Gomes Moreira, falecido no passado dia 07, está marcada para a próxima quinta-feira, 14 de Dezembro, pelas 19:00, na Igreja de São Nicolau, em Santarém.

Falecido aos 95 anos, João Gomes Moreira X foi uma figura ímpar e multifacetada da região e um dos mais activos colaboradores do Correio do Ribatejo. Dedicou a sua vida à cultura ribatejana, foi funcionário municipal, guia turístico e fundador da Feira do Ribatejo e da Orquestra Típica Ribatejana.

Começou a colaborar com este jornal da década de 50 e escrevia sobretudo sobre assuntos relacionados com cultura e património. Temas que sempre lhe interessaram e pelos quais se bateu.

João Gomes Moreira nasceu a 22 de Agosto de 1922 no Beco das Cortezes, 5, 1.º Esq., Salvador, Santarém, sendo filho do padre João Gomes Moreira e de Maria da Conceição Ferreira Maia. O seu baptizado realizou-se na Igreja da Piedade onde mais tarde ajudou à missa.

Na sua infância e juventude residiu em S. Domingos e frequentou a Escola Primária do Salvador. Em 1936, integrou a Mocidade Portuguesa onde participou em desfiles, acampamentos, praticou ciclismo e hipismo. Dois anos mais tarde frequentou as oficinas do Sr. Leovigildo para aprender a arte de encadernar em virtude de ter reprovado no 5.º ano. Em 1943, concluiu o Curso Complementar de Letras no Liceu de Santarém, ainda situado no velho edifício do Seminário, no mesmo ano em que faleceu a sua tia paterna Ana Brígida Moreira.

Apesar de se ter matriculado no ensino superior acabou por se iniciar no mundo do trabalho ao ingressar na Câmara Municipal de Santarém, onde trabalhou na Biblioteca Braamcamp Freire entre 1954 e 1959. Em 1962, fixou residência em Lisboa e passou a trabalhar na firma de produtos farmacêuticos “Ferraz & Lince”, onde se tornou presidente do núcleo de convívio da firma e desenvolveu diversas actividades culturais e desportivas (1970-1973).

A Câmara de Santarém atribuiu-lhe, em 1983, a medalha de prata da cidade. Em 1990, a Casa do Ribatejo nomeou-o sócio de honra. Após a aposentação, em 1991, fixou a sua residência em Vila Nova de S. Pedro, Azambuja, onde foi homenageado pelos seus amigos em 1999. Dois anos mais tarde instalou-se em Santarém. A 29 de Maio de 2004, por iniciativa da Junta de Freguesia de Salvador foi-lhe atribuído o nome a uma rua no Jardim de Baixo.