João Gomes Moreira, Colaborador de Mérito do Correio do Ribatejo e figura ímpar da Cultura scalabitana faleceu esta madrugada aos 95 anos.

O corpo estará em câmara ardente a partir das 17h00 de hoje, na capela das Portas do Sol. Amanhã, sexta-feira, pelas 15h30, será rezada missa de corpo presente na mesma capela, após a qual o funeral segue para o cemitério de Vila Nova de S. Pedro, onde será sepultado.

Natural de Vila Nova de São Pedro, João Gomes Moreira adoptou a cidade de Santarém como sua, tendo ajudado a difundir o seu património histórico e monumental pelo mundo.

Muitas vezes galardoado pela Federação do Folclore Português, pela Câmara de Santarém e pela Casa do Ribatejo, membro de honra do CIOFF (Conselho Internacional das Organizações de Festivais de Folclore), João Moreira foi, sobretudo, um homem conciliador, descrito pelos amigos como “um elo de bem-querer” e um “embaixador de saberes”.

Personagem multifacetado, foi orfeonista, músico e actor amador. Gostava de circo, de fado e era um dos mais antigos colaboradores do Correio do Ribatejo. Foi funcionário municipal, guia turístico, folclorista, amante de música sinfónica e fundador da Orquestra Típica Scalabitana e da Feira do Ribatejo.

Recentemente, participou no livro da autoria do jornalista francês Patrick Servant, intitulado “Confolens, la magiedu folclore”, que inclui um capítulo intitulado “João Gomes Moreira, lecompagnon de route” [João Gomes Moreira, o companheiro de viagem].

Nascido em 22 de Agosto de 1922, João Gomes Moreira era conhecido pela sua memória prodigiosa e pela sua facilidade de cativar e de fazer amigos.