A candidatura do Museu Nacional Ferroviário à ERIH – European Route of Industrial Heritage foi aprovada. A partir de agora o MNF integra a maior rede europeia de divulgação e promoção de Turismo Industrial, que agrega e divulga mais de 1300 sítios e museus industriais em 13 países europeus.

O Museu Nacional Ferroviário no Entroncamento e no Lousado (Concelho de Vila Nova de Famalicão) integram a ERIH como Pontos-Âncora, a principal rota desta rede europeia. De acordo com os critérios da ERIH, obtêm a classificação de Pontos-Âncora os sítios que são considerados de excepcional importância histórica em termos de património industrial e que oferecem uma experiência de qualidade aos visitantes, constituindo marcos do Património Industrial Europeu.

A candidatura agora aprovada contou com o apoio da Câmara Municipal de Famalicão e da APPI- Associação Portuguesa para o Património Industrial, integrando-se na estratégia do MNF para a divulgação do museu e captação de públicos.

A ERIH é a maior rede europeia de divulgação e promoção de Turismo Industrial e, segundo indica o ‘website’ da própria organização, classifica como “pontos-âncora” os sítios que são considerados de “excepcional importância histórica em termos de património industrial e oferecem uma experiência de alta qualidade ao visitante”.

Cada um desses ponto-âncora funciona ainda como “local de partida para uma variedade de rotas regionais”.

A lista de requisitos previamente exigidos para adesão à rede estipulava que “o ponto-âncora ideal” cumpre critérios como: ser “um sítio historicamente autêntico, com valor simbólico e importância para o registo da evolução da indústria europeia”, contar “a sua própria história através de uma interpretação imaginativa e exposições” e oferecer aos visitantes “serviços actualizados, como demonstrações de operações fabris, visitas guiadas multilíngue e ‘tours’ especiais para crianças”.

Outros requisitos eram que o ponto-âncora incluísse “um centro de acolhimento de visitantes, recepção ou loja, ligação a transportes públicos e ciclovias e total acessibilidade para pessoas com limitações de mobilidade”.

Download PDF