O Veto Teatro Oficina impôs-se o desafio de criar um espectáculo de raiz para a abertura da edição deste ano da Iniciativa Verão In.Str, no próximo dia 21 de Junho, a partir das 21h30. Chama-se “Nervos de Papel” e vai juntar no mesmo palco actores do Veto e alunos de artes do espectáculo da Escola Ginestal Machado.

Para liderar este projecto, o Veto convidou uma jovem encenadora, a actriz Sara Gabriel, também ela membro do grupo por largos anos a que juntou depois sólida formação superior em teatro. “Nervos de Papel” nasce assim como um espectáculo feito de raiz para o In.Str, procurando reflectir sobre o próprio projecto e os diferentes públicos que tem atraído e para cuja criação, a produção teve total liberdade criativa e dramatúrgica.

Ao todo, são 17 pessoas, numa cena que terá o seu início na praça Sá da Bandeira (Largo do Seminário) e com diversas cenas representados no percurso, se conduzirá e convidará o público para um percurso até ao auditório do Jardim das Portas do Sol. As ruas da cidade serão, por isso, os palcos deste espectáculo

Para Sara Gabriel, a ideia foi fazer um espectáculo “essencialmente físico e visual” que só terá texto no final do percurso, nas Portas do Sol. A temática central é o ser humano e as suas dificuldades. Dificuldade de comunicar, dificuldade de se aproximar do outro. As personagens transmitem as suas angústias para o papel e o papel passa a ser o símbolo dessas angústias. O repositório delas.

Este é, assim, um desafio diferente que procura apelar para a capacidade interpretativa, onde por vezes parece despontar uma linguagem, um referencial que nos evoca a banda desenhada.

Na sua apresentação e pelo caminho, prometem-se algumas surpresas. No ensaio aberto à Imprensa, um primeiro quadro trouxe-nos os homens das bolas de papel. Aquelas que se formaram com todas as coisas que todos nós fomos escrevendo e escondendo em gavetas, guardando de outros olhares e que um dia, pura imaginação nossa, ou talvez não, se juntam e formam grandes e crescentes aglomerados de ideias, dando corpo a projectos, sonhos que se vão tornando realidade em diferentes realidades.

De seguida foram apresentadas as mulheres de extremos. Mulheres numa situação de bipolaridade alegria / tristeza.

Quais pessoas que estão sempre atrasadas, sempre muito atarefadas, sempre a correr de um lado parta o outro. Pessoas que procuram sempre fazer alguma coisa e não conseguem concretizar nada, acabando por entrar em estado de angústia extrema.

Num terceiro quadro vimos três “viciados” em trabalho, que não conseguem ter uma vida normal fora da esfera da actividade profissional. Acabam sendo máquinas que reproduzem gestos. Gestos mecânicos, repetitivos e a partir de certa
altura sem sentido. Como tudo na vida que é levado ao extremo acabando por perder a perspectiva e o bom senso.

Nervos de Papel traz-nos assim uma visão transversal da nossa sociedade, pensada a partir dos públicos da Iniciativa Verão In.Str e dos locais onde privilegiadamente ela se apresenta.

Para Paulo Domingos, actor do Veto esta é uma experiência muito interessante até por colocar em cena um largo conjunto de actores e actrizes com menos de 30 anos, um aspecto “notável”, para um grupo de teatro com quase meio século de vida.

Já Marta Catalão, 16 anos, uma das estagiárias da Escola Ginestal Machado afirma estar a gostar desta nova experiência do estágio porque lhe permite “aprender, não só a representar, mas tudo o que envolve uma verdadeira produção teatral”.

No dia 28 de Junho, o espectáculo será repetido na Ribeira de Santarém que este ano se constitui como extensão da Iniciativa Verão In.Str.

Download PDF