O maduro Presidente da Venezuela acusou Portugal de lhe sabotar o pernil de porco. Santos Silva, o Ministro dos Negócios Estrangeiros, disse que os porcos, após terem tomado banho, saíram todos com destino àquele país, desconhecendo se fugiram durante a viagem marítima. Isso não convenceu os venezuelanos, pois os porcos não sabem nadar e não iriam atirar-se ao mar de livre vontade. São porcos mas não são burros!

Estamos assim perante um incidente diplomático suíno, de difícil explicação. Se os porcos saíram de Portugal, porque não chegaram ao destino?

Foram libertados pela Greenpeace ou será que alguém comeu os porcos pelo caminho?

Uma outra hipótese ainda em estudo é terem sido sequestrados pelo Daesh para serem usados na troca de
ervas aromáticas colombianas. A Rádio Comercial de Almeirim conseguiu apurar que 2.200 toneladas de pernil se encontram retidas na Colômbia, considerando o comentador Marcos Mendes que os porcos não podem atravessar a fronteira devido à falta de visto nos passaportes.

Há pois muitas interrogações neste mistério por desvendar. Sabe-se que a Brigada de Investigação da Polícia Judiciária procura os porcos, seguindo-os pelo cheiro, e que o caso está já agendado para a próxima Assembleia Geral da ONU. António Guterres afirmou que a porcaria internacional deve encontrar uma solução dialogada entre as partes, de modo a evitar-se um novo conflito – a Guerra do Pernil de Porco.

Em comunicado de última hora, os suinicultores portugueses desejam que 2018 seja um ano de Paz e febras na brasa!

Chonices

Carlos Oliveira