No próximo dia 21 de Abril, pelas 21h30, sobe ao palco do Teatro Sá da Bandeira ‘O Punho’, a última peça teatral de Bernardo Santareno, datada de 1980, ano do seu falecimento, tratando-se de uma obra cuja representação é praticamente inédita nos palcos nacionais.

Drama marcadamente politizado, balizado num tempo muito particular, o da Reforma Agrária nos campos do Alentejo, temática polémica, que não oferece consensos, aliás, características a que sempre nos habituou Santareno na sua obra dramatúrgica. As liberdades de Abril permitiam então o acirrar das lutas sociais e políticas entre os latifundiários e as gentes sem terra.

O conflito teatral agudiza-se focado em duas figuras centrais, a senhora rica dona de quase tudo e a criada pobre, resignada ao que a vida lhe deu, nada.

A lealdade mútua que as personifica custa a romper, mas os tempos novos extremam as posições que se radicalizam, até à violência.

São factos reais de uma história recente que inspiram a criatividade do autor, observador que assume na sua escrita a consciência e a voz do povo (o coro), pois o seu teatro, foi sempre um teatro do povo. Mais do que os propósitos políticos ou panfletários, o objectivo é trazer Santareno e a sua escrita ao palco e ao público.

Encenada por José Manuel Rodrigues, a peça tem produção do Centro Dramático Bernardo Santareno, apoiada pelo Programa de Apoio ao Associativismo e Agentes Culturais do Concelho de Santarém.

Download PDF