Candido AzevedoNo passado mês de Novembro, numa entrevista ao Correio do Ribatejo, referi estar actualmente o PANATHLON CLUBE DE SANTARÉM (PCS) desactivado temporariamente dada a crise financeira que abala o país, e que, no entender da Comissão Administrativa (CA) actual não era justo cobrar aos associados a quota internacional e a refeição da conferência mensal. Mais referi não ter havido nos últimos anos um rejuvenescimento dos associados, todos personalidades que estiveram ligados ao desporto ribatejano, muitos já desaparecidos, outros actualmente fragilizados com a idade, e que o PCS carecia de um rejuvenescimento.

Felizmente que a referência ao PCS nessa entrevista não caiu em saco roto pois foram muitos os que contactaram a Comissão Administrativa, uns querendo saber dos propósitos e vocação do PCS, outros dispostos a juntarem-se na defesa dos valores do desporto e na continuação daquele que é um dos dois Clubes existentes em Portugal. O outro é o Panathlon Clube de Lisboa, que congrega entre os seus membros antigos dirigentes das Federações Desportivas, do COP, pessoas que desempenharam cargos governamentais ao serviço do desporto, antigos atletas olímpicos, Técnicos nacionais, etc.

Face a esta onda de interessados entendi vir aqui reportar sucintamente o que é o movimento Panathlon e o historial do PCS, procurando esclarecer, sensibilizar e motivar novas pessoas a associarem-se ao PCS e desta forma enriquecer e criar uma nova dinâmica à vida associativa e à missão que cabe aos Panathlon Clubes, cujo primeiro Clube surgiu em Veneza a 12 de Junho de 1951 e hoje com centenas de Clubes e dezenas de milhares de associados distribuídos por 30 países da Europa, Américas e Ásia. Com tal dinâmica sairá certamente enriquecido o movimento desportivo ribatejano, alicerçado em sólidas bases de profunda amizade e na defesa da ética e moral no desporto, razões que levaram os primeiros associados a criarem em Santarém nos inícios dos anos 80 o PCS.

Falemos então deste movimento e dos seus propósitos:

O que é um Panathlon Clube?

Pan + athlon é uma palavra de origem grega significando conjunto + práticas desportivas. O lema do Panathlon é Ludis Jungit, que pode ser traduzido pela expressão “unidos para o desporto e pelo desporto”. É um movimento qual “Clube de Serviço”, pois possui finalidades éticas e culturais. Pretende aprofundar, divulgar e defender os valores do Desporto, como instrumento de formação e de estruturação da Pessoa e como meio de solidariedade entre os Homens e Povos.

Quais os seus objectivos?

Difundir através de acções apropriadas a ideia do desporto praticado com “fair-play”; Actuar para que seja garantida a cada um a existência de uma educação desportiva sadia, sem distinção de raça, sexo ou idade; Promover estudos e pesquisas sobre os problemas do desporto e das suas relações com a sociedade; Incentivar e apoiar através do desporto, programas a favor da não-violência, o combate ao dopping, a prevenção da toxi-dependência e a recuperação de suas vítimas, acções a favor dos incapacitados e as iniciativas de solidariedade em relação aos desportistas veteranos; Premiar figuras locais ou movimentos associativos que tenham um percurso único e destacado no “mundo do desporto” seja enquanto praticante, técnico, dirigente, organização, etc., fazendo-o de uma forma relevante para a comunidade desportiva.

Com estes objectivos o mundo pan-atlético estará a favorecer a amizade entre os atletas e dirigentes que actuam e intervêm nas diferentes modalidades desportivas locais. Em simultâneo estará a apoiar o “Movimento Olímpico” em todas as acções que estiveram de acordo com a filosofia do Panathlon Internacional.

Que actividades desenvolve um Panathlon Clube?

Todos os membros têm uma reunião mensal ou bimensal, durante a qual têm lugar as exposições ou debates sobre quaisquer assuntos de interesse desportivo, apreciados sobre um ângulo sociológico, técnico, político, administrativo ou moral e que têm em conta os interesses de natureza local ou nacional; Prelectores de renome nacional animam outras iniciativas como colóquios, seminários, etc; Desenvolve outras actividades colaterais como visitas, exposições, palestras nas escolas, etc, que enriquecem e dinamizam culturalmente a actividade desportiva local; Premeia anualmente a figura que mais se tenha destacado no mundo que configura os valores defendidos pelo movimento pan-atlético.

Qual a organização de um  Panathlon Clube?

Identificados com os fins e objectivos do Panathlon Internacional, os seus membros são recrutados entre personalidades que, num sentido muito lato, estejam ou tenham estado ligados ao Desporto quer pela sua prática, quer pelo seu estudo, formação técnica, quer pela sua actividade dirigente. Deste modo, desportistas, técnicos, professores, dirigentes, árbitros, juízes, médicos especializados em medicina desportiva, investigadores e especialistas de todo o género, contribuem para a formação do Clube, de acordo com classificações desportivas, estabelecidas pelos estatutos do Panathlon Internacional.

As diferentes disciplinas e modalidades estão representadas de forma equilibrada no seio do Clube, de tal modo que, cada Clube Panathlon assuma o aspecto de uma representação organicamente completa e altamente qualificada, no contexto desportivo da região onde tem a sua sede.

São aceites até cinco membros, por cada especialidade desportiva existente no Clube.

O Panathlon Clube de Santarém foi criado a 27 de Janeiro de 1984 por personalidades ilustres do desporto ribatejano de então, tendo sido seus primeiros dirigentes nos primeiros anos, o Professor Prista Caetano (desporto escolar), o Dr. Pita Soares (jogos tradicionais), o Professor José Gameiro (desporto universitário), o Professor Vítor Mata (natação), o Coronel António Palma (desporto militar), o Senhor Jaime Cunha (atletismo), o Senhor Manuel Lousada (arbitragem), Manuel Serralheiro (administração desportiva) e Domingos Cabral (juízes de atletismo).

A sua área de actuação espalha-se pelos concelhos de Santarém, Cartaxo, Rio Maior, Almeirim, Alpiarça e Chamusca.

Ao longo de muitos anos desenvolveu intensa actividade de acordo com os seus objectivos, tendo sido um órgão de consulta privilegiado da DGD de Santarém.

Ilustres personalidades do mundo desportivo português, como Noronha Feio, Mirandela da Costa, Monge da Silva, Afonso dos Santos, Manuel Sérgio, Carlos Lopes, Sidónio Serpa, Jorge Olímpio Bento, etc. foram ilustres palestrantes que vieram até Santarém.

E de acordo com os seus estatutos muitas foram as personalidades da sua área de actuação premiadas com o Troféu Panathlon Clube de Santarém, pela sua actividade ligada ao mundo e valores do desporto, onde permitimos relembrar alguns como Manuel Lousada (arbitragem), Mário Aníbal e Suzana Feitor (atletas olímpicos), José Balreira (ciclismo), Silvino Sequeira (desporto autárquico), Associações de Futebol e de Ginástica, Albino Maria (administração desportiva), Rui Manhoso (dirigismo desportivo), António Anjinho (treino desportivo), etc.

Na transição do século, a crise que assolou o associativismo desportivo, logo seguida da crise económica actual afectou os últimos anos do PCS. Contribuiu também pela negativa o desaparecimento de entre nós de alguns dos seus membros bem como a debilidade de outros, o que leva a que dos 30 membros iniciais, o PCS disponha actualmente de apenas uma dúzia, situação essa que a actual Comissão Directiva pretende combater.

Deste modo vimos por este meio sensibilizar todos aqueles que num imenso amor aos valores do desporto e em consonância com os estatutos do Panathlon Internacional queiram associar-se ao PCS. Para o efeito basta ligar para 965692734 ou enviar nome e modalidade desportiva para asterix364@gmail.com, manifestando a sua vontade em aderir ao movimento pan-atlético. Logo que o PCS restabeleça a sua ligação ao Panathlon Internacional, que se prevê para breve, serão retomadas as actividades com a admissão de novos membros, estando prevista para Março o recomeço das conferências, desta feita com o Dr. José Manuel Constantino, Presidente do Comité Olímpico Português.

Cândido Azevedo

PANATHLON CLUBE DE SANTARÉM