joao moura ludgeroO Farpas, blogue taurino dirigido e animado por Miguel Alvarenga, retoma este ano a atribuição dos seus troféus da temporada que se aproxima do seu termo, este ano confinada aos espectáculos que tiveram lugar no Campo Pequeno, e em parceria com o Restaurante “Volapié”, instalado na própria praça de toiros. Decerto que por esta circunstância a entrega dos troféus não será realizada apenas numa Gala ou num jantar onde coincidam todos os triunfadores, mas, sim, em seis jantares que decorrerão durante o defeso, o primeiro dos quais terá lugar no próximo dia 29 de Novembro e será dedicado ao Grupo de Forcados Amadores de Vila Franca, o eleito triunfador por Miguel Alvarenga.

Os vencedores dos restantes Óscares da Tauromaquia são os seguintes: Melhor Cavaleiro – João Moura; Melhor Matador – Juan José Padilla; Melhor Ganadaria – Grave; Melhor Toiro – de Manuel Veiga; Melhor Peão de Brega – António Telles Bastos; Melhor Bandarilheiro – João Ferreira; Revelação / Toureio a Cavalo – Parreirita Cigano; Revelação / Toureio a Pé – Manuel Dias Gomes.

A par destas distinções que, supostamente, irão premiar os triunfadores da temporada lisboeta, na perspectiva das entidades promotoras dos Troféus, será, igualmente, prestada homenagem à Equipa Médica do Campo Pequeno, dirigida pelo Dr. Soares Fernandes, e ao Cornetim José Henriques.

Segundo Miguel Alvarenga, “Estes não serão “mais uns prémios”. Serão os prémios. Os Óscares da Tauromaquia Nacional.” Amiúde tenho dito e escrito o que penso sobre a atribuição de troféus em Portugal, os quais, em regra, mantêm o registo de compadrio que grassa no universo taurino nacional e servem para pagar os pequenos favores entre as partes intervenientes. Serão estes Óscares diferentes? Enfim, presunção e água benta, cada um toma a que quer, porém, estas afirmações, tão categóricas e petulantes, talvez fossem escusadas, pois, o tempo é sempre o melhor juiz e quem nunca tenha pecado que atire a primeira pedra…

Ludgero Mendes