Novo_Centro_Logistico_Paladin
A PALADIN inaugurou este mês de Fevereiro um novo centro logístico, com o objectivo de permitir à marca com sede na Golegã responder à crescente procura dos seus produtos nos mercados estrangeiros.

Situado a 500 metros da actual unidade industrial, o novo Centro Logístico representou um investimento de 2 milhões de euros, tem capacidade para 4.000 paletes com potencial de expansão para mais 3.000 e dispõe de 9 cais de carga e descarga, estando já preparado para trabalhar com frio positivo em resposta às exigências dos clientes nacionais e internacionais.

«O novo centro logístico passa a ser mais uma das peças da estratégia de internacionalização da PALADIN e dá resposta a vários desafios com que nos debatíamos. Por um lado, precisávamos de ganhar eficiência no planeamento da produção, mantendo a flexibilidade que caracteriza a oferta da marca. Para isso, precisávamos de mais espaço na fábrica, até porque o espaço até aqui usado como armazém já se encontrava subdimensionado», refere João Pilão, Director de Internacionalização.

Com este investimento, a PALADIN aumenta a sua capacidade de resposta às crescentes solicitações dos mercados externos em que está presente e a conquistar o paladar dos consumidores com os seus produtos “à portuguesa”.

«Trabalhamos todos os dias para criar produtos adaptados aos gostos dos nossos consumidores em todo o mundo, tendo por base a magnífica panóplia de sabores que a gastronomia portuguesa nos proporciona. Sabemos que os consumidores em todo o mundo estão ávidos por produtos originais para confeccionarem os seus pratos, e estamos certos que o sabor à portuguesa da PALADIN vai fazer essa diferença”, refere Carlos Gonçalves, Administrador.

Actualmente, a PALADIN já está em mais de 30 países em mercados relevantes do Norte de África e Médio Oriente, em países como Marrocos, Argélia, Líbia e Jordânia ou Arábia Saudita, Israel e Índia. No total já lançou mais de 200 referências para um universo acima dos 150 milhões de consumidores.

Os produtos da PALADIN incorporam praticamente 90% de matérias primas nacionais, a maioria dos quais provenientes da excelente agricultura que temos em Portugal. Uma aposta que se tem traduzido na boa receptividade nos vários mercados onde já está presente e que tem permitido à marca da Golegã crescer 65% nos últimos 2 anos e aumentar o número de postos de trabalho em 15%, ao longo do último ano.