Terminada a Peregrinação a Fátima, o Papa fez no domingo um balanço em Roma, na recitação do Regina Coeli, durante a qual sublinhou que a oração pela paz, ensinada pela Virgem em Fátima, continua a ser muito necessária.

Já antes, na viagem de regresso a Roma, tinha dito que iria falar da mensagem de paz de Fátima a todos com quem se encontrar, afirmando ter sido uma “felicidade muito grande” a coincidência do Centenário das Aparições e da Canonização de Francisco e Jacinta.

Também em jeito de balanço falou o Pe. Vítor Coutinho, vice-reitor do Santuário e responsável pela comissão de Media da visita, que sublinhou a “experiência profunda de fé” e destacou a emoção do Papa em alguns dos momentos altos da Peregrinação.

Além do momento alto da canonização dos dois beatos, às 10h26 de 13 de maio, outro gesto de grande significado foi o abraço trocado entre o Papa e Lucas, o jovem cuja cura foi atribuída à intercessão milagrosa de Francisco e Jacinta, abrindo caminho à canonização.

Se os responsáveis não avançaram números sobre a presença de peregrinos, referindo que as ruas da cidade estavam cheias, além do Recinto, são conhecidas as estatísticas de utilização dos medias digitais oficiais: cerca de 30 milhões de pessoas em mais de uma centena de países estiveram em contacto com a Peregrinação do Papa.
Uma viagem que termina com o Papa a dizer “Obrigado, eu” e a colocar a mão no coração, respondendo aos gritos de “Obrigado, Papa” dos funcionários e colaboradores que trabalharam na Peregrinação.

Download PDF