paulo narciso 5 miniTenho um filho que chegou a divertir-se na Académica de Santarém, a fazer o que a generalidade dos rapazes da sua idade gosta: jogar à bola!

A carreira foi curta, mas marcante, como o será sempre para quem, por mais ou menos temporadas, partilhe o seio daquela enorme ‘família’ – a ‘malta do aço!’.

Pois bem, hoje falo-vos de uns quantos pequenos embaixadores que, na passada semana, levaram Santarém e o ‘espírito académico’ à Suécia, para participarem no ‘Gothia Cup’, na cidade de Gotemburgo.

Para os mais distraídos, assinala-se que o Torneio reúne um total de 1.750 equipas (!), em diversos escalões, desde Sub 11 a Sub 18, masculinos e femininos, num total de quase 40.000 atletas (!) que disputam 600 (!) jogos por dia, sem atrasos nas partidas e um trabalho logístico notável.

Só no escalão em que os Sub-13 da Académica se fizeram representar participaram 144 equipas e um total de 2.800 atletas, divididos, numa primeira fase, em 36 grupos de 4 equipas cada. É obra!

Diz quem por lá passou que a organização esteve impecável. Não tanto as arbitragens…

Na vida de Simão Santos, Miguel Mata, André Amado, José Dias, Salvador Martinha, Salvador Coutinho, José Patrício, João Rabuge, Francisco Oliveira, João Marecos, Afonso Branco, Rafael Alcobia, Pedro Ferreira, Hugo Tavares, Miguel Henriques e de Afonso Simões ficará para sempre a memória do 3.º lugar alcançado neste Torneio, e, quem sabe com uma arbitragem ‘menos nórdica’, o sonho de chegar à final que poderia muito bem ter sido concretizado…

Por uns dias, o nome de Santarém ouviu-se na longínqua Suécia e pela melhor das razões, transformando esta comitiva escalabitana em verdadeiros embaixadores desta cidade.

Não deve ter sido nada fácil levar esta equipa tão longe e aí, para além do clube e dos apoios que este terá sabido reunir, uma palavra para os pais que perceberam a importância de dizer presente num evento desta envergadura.

Parabéns a todos! São como o aço!

João Paulo Narciso

*Texto publicado em edição impressa de 24 Julho