Carlos Oliveira4 décadas se passaram após o golpe militar e revolução popular da madrugada de 25 de Abril de 1974.

Foram 40 anos de lutas e esperança. 40 anos à espera de uma vida melhor para todos, na Democracia conquistada.

Em Santarém, “berço da Liberdade”, comemorou-se, durante todo o ano, o 40º Aniversário dessa data histórica e patriótica, desse Abril tão desejado e tão sofrido.

No passado dia 6, fez-se da sede do Poder Local o ponto de encontro dos sonhos e da memória coletiva de todos nós. Ali se abraçaram militares do Movimento das Forças Armadas, que os Mortos da guerra de África, e a miséria em que o Povo vivia, impulsionaram para porem fim ao regime ditatorial fascista, que durante quase meio século nos oprimiu e escravizou.

Foi ali naquele ponto de encontro, nesta cidade que habitamos, que o jovem Capitão Salgueiro Maia se reviveu nas imagens, nos sentimentos, e nas palavras de quem com ele conquistou a Democracia e a Liberdade para o Povo Português.

Aos heroicos “Rapazes dos Tanques” juntaram-se as suas famílias, e os representantes políticos agora livremente eleitos, tendo todos o privilégio de escutarem testemunhos de quem enfrentou as armas, o livre pensamento e expressão de quem hoje administra a cidade, e as opiniões críticas que traduziram um sentimento de tristeza e inconformismo a nível nacional.

A intervenção de uma criança (o futuro), a música, a poesia, e o canto de artistas locais, foram momentos muito enriquecedores e dignificantes da Sessão Solene de Encerramento do 40º Aniversário do 25 de Abril em Santarém.

Viveu-se Abril em Dezembro, e cantou-se pela primeira vez “Grândola Vila Morena” na quadra natalícia. Que não se melindrem os mais conservadores, pois na essência das mensagens de Abril e de Natal, está a razão de ser do que queremos – Paz, Justiça, e Igualdade entre os Homens de boa vontade.

Ámen !

Carlos Oliveira

FOTO CRÓNICA DIA 12