Carlos OliveiraPoderia ser um neologismo e escrever-se-ía assim. Mas não é. Tem o nome de AbrilArte e será uma demonstração dos valores de Santarém, nas áreas da música, dança, teatro, canto, e poesia. Trata-se do espetáculo que vai ser realizado no Teatro Sá da Bandeira, na próxima quinta-feira, dia 30, integrado nas Comemorações do 41º Aniversário do 25 de Abril.

No palco do teatro municipal, agora com nova programação, irão estar alguns dos artistas e agentes culturais que, apesar das condições adversas por todos sentidas, continuam a fazer de Santarém uma cidade culturalmente dinâmica e talentosa.

Os criadores de Arte que farão AbrilArte são pessoas que diariamente se cruzam connosco nas ruas, e a quem não se dá apreço merecido nem justo reconhecimento e incentivo. Situação própria de um país cujo governo extinguiu o Ministério da Cultura, e que, hipocritamente, fala de cultura sem qualquer projeto político-cultural existente. Isso é bem significativo do desrespeito e ostracismo de que os artistas são vítimas.

Um país onde as Artes da Cultura são relegadas para plano se somenos importância, sem verba no Orçamento de Estado, e onde a sociedade individualista e de tal maneira materializada nada cultiva as coisas do espírito.

A organização de AbrilArte é feita em parceria pela Comissão das Comemorações Populares do 25 de Abril e Câmara Municipal de Santarém, sendo o evento inserido nas cerimónias do 41º Aniversário da “Revolução dos Cravos”.

O espetáculo é fraternamente dedicado a Fernando Castelo, amigo que foi importante empresário scalabitano, e nele terá lugar o lançamento do DVD do Concerto feito o ano passado no Convento de São Francisco, com Pedro Barroso e Manuel Freire, que também estarão presentes.

Ouviremos os cantares de Aja Festa, Teresa Azoia, Hélia Castro, Susana Lopes, Octávio Freitas, Tiago Fernandes, e Scalabituna. Escutaremos também palavras de poesia ditas por Vicente Batalha, e a sonoridade barroca de Vivaldi interpretada por alunos e professores do Conservatório de Música de Santarém.

E, como se tudo isto não fosse já motivo suficiente para aplaudirmos, veremos ainda em AbrilArte a elegância das bailarinas do Ballet da Academia de Dança do Círculo Cultural Scalabitano, e a sensualidade sempre presente nas coreografias do Jardim de Tango. O teatro estará representado por Aqui há Gato, e a A.M.A. – Associação Movimento Aberto – mostrar-nos-à, através das artes que pratica, a harmonia entre o corpo e a mente.

Nós, espectadores, lá estaremos para nos “abrilarmos”… com todo o prazer!

Carlos Oliveira

FOTO CRÓNICA DIA 24