Carlos OliveiraApós muita ponderação, e motivado por pedidos que me chegaram de todo o País, eu, acima assinado, conhecido por Chona, resolvi candidatar-me ás eleições presidenciais.

Na realidade, desde criança, o meu sonho é ser Presidente da República Portuguesa.

É mesmo uma questão de genuina vocação para o cargo.
O problema da falta de habilitações académicas, está já a ser tratado pelo meu acessor de campanha, em cordiais relações com uma universidade de Lisboa.

Vou inscrever-me no próximo ano letivo do ensino superior, e fui informado que a questão do diploma se resolverá através de vídeo-conferência, ou através de qualquer sorteio dos jogos da Santa Casa.

Também na área do financiamento da campanha existem já condições para avançar, o que será feito com base em transferências bancárias, resultantes da venda de tampinhas de plástico.

Portanto, não digam nada a ninguém, porque o segredo é a base das campanhas. Será uma candidatura verdadeiramente supra-partidária, independente e patriótica.

Numa sondagem encomendada à Farinha Amparo, os resultados apontam para fortes possibilidades de ir à segunda volta com Maria de Belém. Terei então de implementar uma boa estratégia política, porque as mulheres não se medem aos palmos. Mas estou tranquilo na medida em que conto com o apoio das bases, e dos mais diversos quadrantes da sociedade portuguesa, e arredores.

Aceitarei fazer alguns debates televisivos com outros candidatos, antevendo-se quentes discussões sobre os destinos do País. Os debates terão como imagem de fundo os incêndios florestais, constatando-se que Portugal nunca ardeu tanto em tão pouco tempo. Mais de 30.000 hectares no primeiro semestre deste ano, vindo a público a Ministra da Administração Interna dizer que “felizmente, os fogos têm sido combatidos com muita eficácia!”.

Aliás, o negócio do fogo será o ponto quente das linhas programáticas da minha candidatura. O slogan dos out-doors ilustra bem essa intenção: “Proteja a floresta. Pegue fogo no Inverno!”

Já convidei os comentadores Marcelo Rebelo de Sousa e o seu amigo Marques Mendes, pessoas de reconhecido mérito político-social, sempre isentas nas apreciações que fazem quer da direita quer da direita.

Perdão, queria dizer da direita. Portanto, caso esteja indeciso(a) em quem votar… conte comigo!

“Vota Chona (com agá) porque melhor não há!”

Carlos Oliveira

*Texto publicado em edição impressa de 21 Agosto