A primeira ‘startup’ de Ourém, criada no âmbito de um protocolo entre o município e a Nersant – Associação Empresarial da Região de Santarém, vai estar em funcionamento no segundo semestre, anunciou hoje a autarquia.

“É a primeira incubadora, com estas características, mais virada para a área tecnológica, de Ourém”, disse à agência Lusa o presidente da câmara, Luís Albuquerque, explicando que a iniciativa constava no programa da coligação PSD/CDS-PP que ganhou as eleições a 01 de outubro de 2017.

Segundo Luís Albuquerque, trata-se de um projeto “muito importante, porque o concelho tem uma tendência empresarial muito grande”, além de que “esta é uma área que não está devidamente explorada”.

“Há muita gente jovem com ideias de negócio que, como não há oferta, vai para fora do concelho. E queremos, junto das escolas e instituições, captar e manter ideias de negócio. É por isso que estamos a fazer este esforço”, declarou.

A ‘startup’ vai ficar instalada no primeiro andar do edifício que foi sede do Centro de Recuperação Infantil Ouriense, na cidade de Ourém, após a realização de obras de adaptação estimadas entre 150 mil e 200 mil euros, a suportar pela autarquia.

No rés-do-chão mantém-se em funcionamento a universidade sénior.

“Prevemos que possam iniciar o seu negócio naquele espaço cerca de 30 empresas”, informou o presidente deste município do distrito de Santarém, adiantando que a Nersant, que atualmente ocupa um espaço no Centro de Negócios de Ourém, vai transferi-lo para aquele edifício.

O protocolo entre Câmara e a Nersant, que foi aprovado na segunda-feira por unanimidade na reunião do executivo municipal, prevê que as duas entidades estabeleçam uma parceria que, entre outros aspetos, visa a “atração e instalação de novos projetos empresariais no concelho, através da criação e dinamização da ‘startup’ Ourém”.

Esta ‘startup’ tem como funções “dinamizar o empreendedorismo através do apoio a empreendedores que queiram criar a sua empresa e do desenvolvimento de iniciativas nas escolas do concelho para promover uma cultura empreendedora”.

Prestar aconselhamento e apoio técnico aos empreendedores e empresas do concelho e disponibilizar espaço para a instalação de empresas recém-constituídas ou em fase de desenvolvimento são outras das funções desta incubadora que inclui, também, o desenvolvimento de ações para atração de novos investidores e a criação de um canal para facilitar processos de licenciamento de cariz empresarial.

No âmbito do acordo, a Câmara, além de ceder o espaço, encaminhará para a Nersant “os novos projetos empresariais que pretendam fazer uma primeira instalação, bem como aqueles que pretendam expandir a sua atividade”.

Já a Nersant disponibilizará as suas equipas técnicas “para apoiar todos os empreendedores do concelho que o solicitem”.

Apoiar tecnicamente o desenvolvimento de novas ideias de negócio, ações de informação, estruturar eventuais candidaturas a fundos comunitários e formação são outras das missões da associação empresarial.