No passado dia 15 de Junho celebrou-se em Cáceres (Espanha) o Primeiro Seminário Transfronteiriço sobre o Desenvolvimento das Comunidades Ribeirinhas do Tejo. O Seminário surgiu como uma iniciativa da Confraria Ibéria do Tejo e do Grupo de Estudos Sociais Aplicados da Universidade de Extremadura e esteve coordenado, de maneira conjunta, por Eusébio Medina (professor da Universidade da Extremadura) e por João Serrano (presidente da Confraria Ibérica do Tejo).

Com este Seminário – em que participaram numerosas pessoas e entidades de ambos lados da fronteira interior -, pretendia-se propiciar um espaço de encontro entre todos os agentes institucionais e não institucionais interessados no conhecimento, na promoção e no desenvolvimento económico, social e cultural das comunidades ribeirinhas do Tejo, bem como na protecção e na salvaguarda do próprio rio como património natural e cultural.

O Encontro serviu, para além disso, para definir as bases de uma nova estrutura de colaboração em rede, de carácter aberto e participativo, aproveitando a experiência acumulada por diversas entidades públicas e privadas sobre desenvolvimento social e cooperação transfronteiriça e territorial durante os últimos 25 anos.

Estiveram presentes e participaram activamente neste Seminário as seguintes pessoas e entidades1: Helena Freitas (Coordenadora da Unidade de Missão para a Valorização do Interior (UMVI), do Governo de Portugal; Luís Pereira (Presidente da Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão e Presidente do Parque Natural do Tejo Internacional); David González Gómez (Decano da Faculdade de Formação de Professores da Universidade de Extremadura); Alejandro Cano (presidente da Rede Cidadã por uma Nova Cultura do Água no Tejo/Tajo); Montaña Hernández (directora do Gabinete de Iniciativas Transfronteiriças de Mérida e porta-voz da EUROACE na Extremadura), Ana Flores (técnica da Comunidade de Trabalho Tajo-Tejo), José Gameiro (Presidente da Associação Empresarial da Beira Baixa), Rebeca Domínguez (gestora da Associação TRIURBIR e membro da Rede Ibéria de Associações Transfronteiriças), Jesús Rivas (secretário-geral da Associação Ibéria de Municípios Ribeirinhos do Douro).
O Seminário iniciou-se às onze da manhã e as actividades concluíram-se às sete da tarde (hora espanhola). Pela manhã, após a inauguração do Seminário, teve lugar uma breve apresentação da Confraria do Tejo e da Rede Cidadã Tejo-Tajo a cargo dos seus respectivos presidentes, João Serrano e Alejandro Cano. Posteriormente desenvolveu-se uma Mesa Redonda sobre experiências de cooperação territorial, a que se seguiu um debate e conclusões sobre os conteúdos da Mesa Redonda.

Na segunda parte do Seminário, que decorreu à tarde, os participantes distribuíram-se em três Grupos de Trabalho; no primeiro dos grupos debateram-se propostas para a criação de uma estrutura de trabalho transfronteiriça que abarque toda a bacia do Tejo e sobre a forma jurídica mais adequada para essa entidade; no segundo grupo identificaram-se as áreas e as acções prioritárias de intervenção para o presente e o futuro; e no terceiro grupo trabalhou-se na preparação da Carta de Amigos do Tejo. Na parte final dos trabalhos, os três grupos de trabalho reuniram-se de novo em Assembleia Geral para partilhar os resumos do trabalho desenvolvido, definir e aprovar as conclusões do Seminário.

Um fruto deste importante evento foi a proposta de começar a trabalhar de maneira conjunta para criar uma nova entidade associativa para toda a bacia do rio Tejo que adoptará, possivelmente, a forma de um Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT). Os promotores desta nova associação serão todas as pessoas e entidades participantes no Seminário e outras que manifestem claramente o seu interesse neste projecto.

Face ao futuro imediato ficou o compromisso de  criar uma equipa técnica para a elaboração de uma proposta concreta de AECT para a Bacia do Tejo. Na conformação dessa proposta poderão participar todas as pessoas e entidades que se sintam identificadas com o projecto organizativo e de acção comum pelo Tejo.

O trabalho iniciado neste Seminário terá continuidade em meados de Julho próximo, na cidade de Tomar, e as suas conclusões apresentar-se-ão, previsivelmente, em meados de Novembro de 2017 em Vila Velha de Ródão.

Download PDF