Sofia Semedo -Santana da Serra Agosto 2015Meia casa e ameaça de chuva, foi o ambiente para um evento que que, dada a sua natureza, bem pode considerar-se de índole familiar, pois Sofia Semedo, filha do matador de toiros e empresário Fernando Santos, apresentou-se publicamente como cavaleira amadora, alternando com Joaquim Bastinhas e com Tito Semedo, seu marido.

Joaquim Bastinhas andou a gosto frente a oponentes que não criaram problemas de maior. Deixou bons ferros e o habitual par de bandarilhas, muito aplaudido pelo público. Andou melhor no primeiro toiro, cravando bons ferros em terrenos de compromisso, mas foi no seu segundo que criou alvoroço em praça. O toiro saiu com muita pata e obrigou o cavaleiro a puxar dos galões… e das pernas no cavalo, tal não foi o ímpeto com que o toiro saiu. Fora isso, nem um nem outro apresentaram grandes dificuldades, tendo sido muito escassos de forças.

Tito Semedo, a jogar em casa, andou regular. Os seus oponentes cumpriram e a actuação resultou, tendo havido oportunidade de ver bons ferros, terminado as suas actuações com ferro de violino e palmitos.

Sofia Semedo apresentou-se com um bonito traje curto e saiu à praça visivelmente emocionada. Brindou a seu pai, filha e marido e as lágrimas inerentes ao sentimento testemunharam o que lhe ia na alma. Saído o hastado com o ferro de seu pai, muito bem apresentado e rematado, Sofia rubricou uma lide de menos a mais, pois inicialmente parecia algo nervosa e as coisas não lhe saíram a contento, porém, ganhando confiança e sendo estimulada pelo simpático público, acabou por evidenciar boas maneiras e alguns detalhes muito valorosos.

As pegas estiveram confiadas aos Grupos de Forcados Amadores de Cascais e de Beja, que se desincumbiram satisfatoriamente da sua missão. Pelos Amadores de Cascais foram solistas Carlos Dias, José Miguel Pirrolas (numa pega conjunta com os Amadores de Beja) e Mário Loures à primeira, quarta e segunda tentativas, respectivamente. Pelos Amadores de Beja pegaram Alexandre Rato e Francisco Patanita, ambos ao primeiro intento.

 

*Texto publicado em edição impressa de 04 Setembro

Download PDF