A sede da Associação Comercial e Empresarial de Santarém (ACES) foi vandalizada na noite de sexta para sábado (dia 16). Uma das portas frontais da sede daquela associação, na rua Serpa Pinto, em Santarém, terá sido forçada, aparentemente sem danos evidentes na mesma. Segundo o Correio do Ribatejo apurou o edifício possui alarme mas não se encontra activado.

 

No interior do edifício, uma das três bandeiras expostas – a da própria Associação – foi totalmente queimada e um computador foi roubado.

 

As paredes e secretárias de diversas salas foram grafitadas, bem como obras de arte e as fotografias de anteriores presidentes da Associação.

Nalgumas inscrições pode ler-se “vou-te matar”, “vão todos morrer”, “és uma bitch”, e a palavra “morte” foi pintada várias vezes em diversas peças de mobiliário, sem se perceber quem é o destinatário destas mensagens.

Paredes, armários, mesas e até um cofre não foi poupado, todos receberam inscrições com tinta de diferentes cores.

A secretária do funcionário da associação foi a que mais sofreu com o assalto, já que todos os papéis foram pintados bem como o ecrã do computador furtado que continha toda a informação administrativa da ACES, mas no entender do funcionário “recuperável”.

Vários quadros, com “bastante valor” foram igualmente vandalizados, sempre com recurso a tinta de várias cores.

Hugo Pedrosa, presidente da ACES, contactado pelo Correio do Ribatejo, mostrou-se “bastante preocupado e apreensivo” com este assalto que considera “pouco normal”.

“Estou bastante preocupado com a insegurança no centro histórico, nomeadamente neste quarteirão, e com a falta de policiamento”, afirma o responsável.

Funcionário e direcção da ACES mostram-se apreensivos com as mensagens que os assaltantes deixaram que “ameaçam contra a vida” e lamentam a “insensibilidade” dos assaltantes que não pouparam obras de arte e muitos documentos que fazem a história da própria ACES, nomeadamente a galeria de retratos dos anteriores presidentes daquela associação comercial.

A polícia esteve no local na noite do assalto e tomou conta da ocorrência.