Tribunal-de-SantarémO Tribunal de Santarém começou hoje a julgar um homem, residente no Cartaxo, acusado de abuso sexual de criança e condenado anteriormente a 13 anos de prisão por crimes da mesma natureza.

Detido preventivamente desde 25 de Fevereiro, o homem, de 51 anos, mecânico de profissão e funcionário da Câmara do Cartaxo, começou a ser julgado, à porta fechada, por abuso sexual de uma menina ao longo de seis anos.

Os crimes terão sido cometidos na sua residência, “aproveitando a vizinhança com a vítima e a confiança da família”, segundo referia o comunicado da Polícia Judiciária no momento da detenção.

Segundo a acusação, a que a Lusa teve acesso, a menor, actualmente com 13 anos, foi abusada sexualmente várias vezes (quando tinha sete, 10 e 13 anos) pelo suspeito, entre Fevereiro de 2009 e Fevereiro de 2015.

A denúncia foi feita em 23 de Fevereiro, depois de a menor ter contado a uma professora de um centro de explicações, que se apercebeu de alterações no comportamento da menina, e depois a uma tia (com quem ficava durante a semana no período escolar, uma vez que os pais residiam fora do Cartaxo).

Nesse período, a menina ficava frequentemente em casa do arguido, que era amigo da família há vários anos.

Quando foi ouvida pelas autoridades, a menina afirmou que também a irmã mais velha havia sido abusada pelo arguido quando tinha nove/dez anos, o que aquela confirmou, adiantando ter sido abusada em 10 ocasiões.

O arguido foi condenado num outro processo, em 2014, a uma pena de 13 anos de prisão pela autoria de 15 crimes de abuso sexual de criança, cometidos sobre três meninas (de cinco, dez e 11 anos), encontrando-se à data da detenção pela PJ em liberdade por estar a aguardar o resultado do recurso a essa sentença.

Na inquirição feita durante o processo, o arguido confessou os factos, declarando que só gosta de meninas “mais ou menos até aos 10 anos de idade” e que gostaria de ser ajudado por ser um problema que tem desde os 18 anos e que foi violado aos seis anos por um vizinho.

Download PDF