Não há passa que se coma na passagem de ano ou brinde de esperança que não inclua o desejo: “Mais e melhor saúde para todos”. Mas, infelizmente, a manutenção do nosso estado de saúde não depende apenas de nós; a e cácia e e ciência do SNS é essencial para que o brinde anual que cada Português tenha efeito! E será que em 2017 vamos ter mais e melhores serviços de saúde? É uma pergunta à qual gostaria de responder – sim. Mas tenho muitas dúvidas.

E para isso não basta olhar para a 1ª noticia, de 2017, na área da saúde – “Défice do SNS piorou 57% em 2016” – é preciso também olhar para o OE para este setor e perceber as dificuldades que se avizinham (NOTA: no Distrito de Santarém, no CHMT, perdemos cerca de 1 milhão de euros de dotação orçamental).

Será que os hospitais com menos dinheiro e com mais dívidas poderão manter os níveis de serviço que o SNS nos tem habituado ao longo dos anos e têm garantido a saúde dos Portugueses?

Será que não faria mais sentido, ao atual Governo, investir dinheiro a pensar nas pessoas, na sua saúde, na educação e no seu bem-estar em vez de continuar esta politica de reversões, que custa milhões aos contribuintes, só para agradar ao BE e PCP? Outro brinde que é tradicional fazer é a uma vida melhor! Mas, mais uma vez, infelizmente, esta vida melhor não depende só de nós…

Para termos um melhor nível de vida é necessário que, no ano que agora se inicia, que o aumento dos custos seja menor que o aumento dos rendimentos. Pois bem, mais uma vez, tenho dúvidas que isso aconteça!

Para que todos tenham essa perceção um litro de gasóleo, no dia 1 de janeiro de 2016, custava 1,074 euros e o mesmo litro de gasóleo, no dia 1 de janeiro de 2017, custou 1,325(!), um aumento de 19% (relembro que o preço do barril de petróleo mantem o valor idêntico de $55,85).

Será que algum Português teve um aumento no seu rendimento anual de 19%?

Será que o Governo acredita que, apesar do aumento dos custos de produção, os bens essenciais de consumo não irão aumentar?

Será que faz sentido o Governo aumentar estes impostos, dificultar a vida às pessoas, em troca da política de reversões só para agradar ao BE e PCP?

 

Nuno Serra

Deputado do PSD eleito por Santarém

Download PDF