O Cineteatro de Ourém, única sala de espetáculos propriedade da Câmara Municipal, inaugurado há 30 anos, vai ser reabilitado num investimento previsto de cerca de 2,2 milhões de euros, disse hoje à Lusa o presidente da autarquia.

“É a única sala de espetáculos da Câmara e nunca teve qualquer intervenção de fundo nestes 30 anos”, afirmou Luís Albuquerque, explicando que, “neste momento, está a decorrer a fase para as empresas apresentarem as suas propostas”.

Segundo Luís Albuquerque, “as obras arrancam no final do ano e têm um prazo de execução de 20 meses”.

“Este é um projecto que está incluído no PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano e foi iniciado no mandato anterior”, adiantou este autarca, referindo que houve um melhoramento ao projecto com a introdução do sistema AVAC (aquecimento, ventilação e ar condicionado).

O presidente da Câmara referiu que a obra é financiada em 1,2 milhões de euros por fundos comunitários, sendo a verba restante assegurada pelo orçamento municipal.

“Trata-se de uma obra de grande envergadura técnica e tem algumas especificidades, pelo que as empresas que concorrerem têm de apresentar alguns requisitos e demonstrar experiência nesta área”, referiu.

Para Luís Albuquerque, concluído o investimento, “o concelho ganha uma sala que poderá acolher outro tipo de espectáculos”.

“Terá melhores condições para receber a actividade cultural que existe no concelho, para que as associações possam ter melhores condições para apresentarem o seu trabalho e o público outro tipo de conforto que não tem hoje”, garantiu, acreditando que “o investimento vai valorizar muito a oferta de espaços culturais”.

Luís Albuquerque acrescentou que o objectivo é o de que o cineteatro “apenas receba espectáculos de música, teatro, dança e outras artes”, mas não cinema como sucedeu no passado.

“O Município pretende encontrar condições noutro edifício para a criação de um pequeno estúdio para a exibição de cinema”, acrescentou.

O Cineteatro municipal de Ourém foi inaugurado em 25 de Setembro de 1988, quando liderava a câmara Mário Albuquerque, pai do actual presidente da autarquia.

De acordo com informação enviada à Lusa, a sala de espectáculos tem actualmente 486 lugares, passando a 435 após as obras.

A intervenção projectada inclui a reabilitação da envolvente exterior do edifício e substituição dos sistemas de cobertura, e a remodelação dos espaços relativos à sala de espectáculos, áreas sociais e de apoios.

O investimento contempla também a alteração e ampliação da caixa de palco e área de camarins, com a criação de acesso directo exterior para cargas e descargas e a adaptação da área do piso -1 para instalações sanitárias e acesso à plateia.

Já a sala polivalente no piso 1 será ampliada, prevendo-se a instalação de elevadores nas áreas comuns e de camarins/palco que permitam a acessibilidade total ao edifício.

A redefinição dos sistemas de segurança, em especial os caminhos de evacuação, com a introdução de duas novas saídas de emergência na plateia e uma no palco, de acesso directo ao exterior está igualmente prevista.