O presidente da Câmara Municipal de Santarém lamentou hoje a morte de José Andrade, ex-presidente da Confederação dos Agricultores de Portugal (CAP) e ex-vereador no município escalabitano no mandato 2001-2005.

Ricardo Gonçalves (PSD) disse à Lusa que foi com pesar que teve conhecimento da morte de “um amigo muito estimado” que “soube sempre dizer presente a Santarém”, concelho onde desempenhou “papeis de relevância”, nomeadamente ao liderar a candidatura social-democrata à presidência do município em 2001.

O autarca destacou ainda a ligação de José Andrade, que morreu na terça-feira aos 69 anos vítima de doença, às tradições e ao cavalo, lembrando a sua participação nas festas da cidade como Romeiro de São José.

José Andrade, que presidiu à CAP entre 1996 e 1999, foi também deputado à Assembleia da República na primeira legislatura, entre 1976 e 1979.

Engenheiro agrónomo de profissão, José Andrade foi o primeiro presidente do Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA), de que foi, juntamente com José Manuel Casqueiro, grande impulsionador, permitindo a passagem, em 1994, da Feira Nacional da Agricultura do planalto de Santarém para as instalações construídas nos 64 hectares da Quinta das Cegonhas.

Preso no “Verão Quente” de 1975 quando tentava defender a propriedade da família no Alentejo – a Herdade Sousa da Sé, a primeira a ser ocupada pelas Forças Armadas -, José Andrade participou, em 24 de Novembro desse ano, na concentração que reuniu mais de 50 mil agricultores em Rio Maior e que culminou, na manhã do dia seguinte, com o corte das vias de ligação entre Norte e Sul do país, num plenário instigado pelos avanços da Reforma Agrária e que deu origem à CAP.

Natural do Vale de Santarém, José Andrade residia em Almeirim, onde se realiza o funeral.